The Tors of Dartmoor

























eu sempre quis ver de perto os tors do parque nacional de dartmoor, e passando de carro pela área resolvi aproveitar a oportunidade. tors são depósitos naturais de granito/sedimentos rochosos ancestrais que foram expostos por conta da erosão do subsolo e substrato. é uma paisagem meio desolada, com diversos picos gigantes de pedras esculpidas pelo tempo, muitas vezes equilibradas uma em cima da outra como se tivessem sido arrumadas ali por uma mão gigante brincando de lego.

eu fiquei fascinada por essa árvore solitária no meio do nada. não havia nenhuma outra por perto e ela parecia estar crescendo de uma pilha de granito, os galhos cobertos de musgo seco arrepiados pelo vento. deduzi que a bichinha fosse literalmente "casca grossa" por ter conseguido crescer tanto num ambiente tão exposto e hostil, e imediatamente a batizei de lolla tree.

eu não estava propriamente vestida para a mini aventura e me senti meio ridícula quando um grupo de caminhantes passou por nós, todo mundo cheio dos equipamentos, botinas de trekking e vestimentas - e eu de sapato de plástico, short e meia calça. risos. mas ponderei: "no fim das contas eles chegaram aqui, mas eu também cheguei".

só foi meio complicado subir os tors (não dá pra ver por essas fotos, mas alguns eram meio altos e o acesso complicado e íngreme), porém depois de alguns fios puxados na meia e alguns surtos de desistência apavorada de minha parte nós finalmente conseguimos. como já disse eu esqueci de levar a câmera nesta viagem e não tive saco pra ficar fotografando com o celular, mas recomendo a área para quem estiver visitando devon. o hotel servindo scones do post passado fica logo ali perto, assim como dartmouth e o pub-hotel onde nos hospedamos. o sábado terminou com cidrazinha gelada às margens do riacho e no dia seguinte pegamos a estrada em direção a somerset para um almoço de domingo com sogra e cunhado, seguido de mais 3h de carro até london town.

acho que foi a primeira vez em que estive no condado de devon sem que tivesse chovido uma ÚNICA vez - mal sabia eu, mas já era a heatwave se aboletando no reino encantado para uma longa temporada de calor, estiagem e DESESPERO. tá na hora de eu virar uma boa pessoa porque esse verão veio me mostrar que eu simplesmente NÃO POSSO ir para o inferno.


Cream tea at Dartmoor.



prosseguindo com a saga de devon, interrompida por preguiça e falta de motivação uns posts atrás, ei-la que ressurge. depois do county show em exeter (vaquinhas ♥) e da rápida visita à lindíssima dartmouth, resolvemos explorar dartmoor. eu não sei traduzir "moor" para o português e só posso descrever a área como 950 quilômetros quadrados de áreas elevadas e cobertas por vegetação rasteira, rios, florestas, ovelhas e pôneis. sim, pôneis. comendo grama e passeando tranquilamente na estrada. você tem que esperar eles passarem ou se desviar, e tal. existe até uma sociedade para os finíssimos.













essa parte do rio (não me pergunte qual) era tão bonita que eu realmente não queria ir embora. passei uns belos momentos contemplativos até que a barriga roncou e me lembrei que já estava em devon há alguns dias e ainda não tinha tomado um cream tea (imperdoável ausência no county show, inclusive escrevi pra eles reclamando). caímos na estrada novamente e encontramos o prince hall hotel graças a uma plaquinha na entrada do driveway; o caminho até chegar lá já nos presenteia com a visão desse túnel verde incrível:





os relógios de doguinho. ♥







malz pelas fotos, eu esqueci de levar a câmera na viagem. :P



cream tea de verdade. ♥ sentamos numa mesa de piquenique no jardim e saboreamos essa delícia curtindo o ventinho do fim da tarde e a vista para as moorlands, onde pastava um simpático rebanho de bovinas leiteiras. quem sabe as mesmas que forneceram leite e creme para o meu lanchinho. 100% simple joy.



WHO'S A GOOD BOY? sim, ele mesmo, querendo meus scones.
infelizmente chegou tarde pro banquete:











outro lugar que eu preciso de mais tempo pra explorar. de preferência hospedada no prince hall, porque aqueles scones deixaram saudade. ♥