Saturdêi.

Não há coisa mais distante do que eu julgava ser a humanidade do que ser obrigado a fazer as tais das necessidades fisiológicas. Um ser criado à imagem e semelhança de Deus NÃO PODE sentar-se num treco que oscila denominações como "privada" e "vaso sanitário" para expelir excrementos; isso é aviltante. Me sinto a última das criaturas.

Depois desse inusitado intróito que reflete meu ódio quanto à condição humana, na maioria das vezes, vamos lá - hoje é dia de rei (no meu caso, de rainha), e vou me despencar daqui para a zona oeste (leia-se zona OESTE, não Barra da Tijuca), único lugar do Rio onde AINDA existe a combinação filme bacana + cinemas novos + ingresso barato. Eu ralei a semana toda (argh), hoje é sábado, faz um dia lindo (sol + friozinho, the perfect combination) e nem fodendo ficarei em casa na frente desta porra de PC digitando asnices para vossa diversão nérdica.

Aproveitando que mandei o namorado à merda esse weekend (acho que meu namorico de milhares de anos vai naufragar agora que considero gastar tempo com ele quase que "perda de tempo") para curtir a minha lindíssima pessoa, é isso o que farei. Teremos uma noite de creminhos, lavagem de cabelo, tratamento facial, arrumação de armários detonados e cheios de roupa suja amontoada, enfim... Só diversão. E olha que só estou falando de hoje.

No comments