Black humour.

...e então 2003 está sendo um ano duca. Primeiro meu padrasto morre, depois meu pai descobre um tumor.

E o pior de tudo: eu comecei a trabalhar.

Não me xinguem. Meu humor negro é (sempre) involuntário. Papai está se cuidando. E os médicos estão muito otimistas. Médicos (sempre) são otimistas.

Ele não vai precisar de quimioterapia, nem de extirpar nada. Ele está tranquilo. E eu estou esticando esse post contra a vontade, como se quisesse desviar o foco da minha brincadeirinha de péssimo gosto. Mas eu sei que ele vai ficar bem, e, se não ficar, essa é a vida. A gente fica triste, e depois vai esquecendo tudo à prestação.

E agora eu vou lá pra sala, ver novela com ele e a Chantilly.

No comments