Copiquete, moi?

Entonces, como eu ia hablando, ter um counter no seu site é sempre uma surpresa a cada reload. Fui lá um instantinho e achei o site tosco dessa doida aqui, que me acusa de copycat. Isso porque o "layout" dela (se é que pode se chamar assim) tem iframes dentro de um bloco de notas feito no photoshop. Ó, que glorioso. Será que ela é evangélica também? (piadinha interna)

Meio que me arrependi de ter deixado minha opinião no "blog" da idiota. Provavelmente meu site vai amanhecer decorado de comentários lotados de erros de concordância, vindos de estrupícios de 15 anos fãs de hello kitty e coisinhas "Kawaii".

Meu Deus, que gente triste. E é por isso que eu sou esquisita e todo mundo pensa que sou louca. Não é só porque fui obrigada a nascer nesse mundo que tenho que efetivamente VIVER nele.

* * *

Não entreguei o dossiê. Tive um excelente dia de trabalho. Chorei por meia hora no banheiro, sentada na privada, os pés pra cima, encostados na parede. Meu ódio mal cabia dentro do reservado do WC. Ninguém me viu ali. Pus os pés para cima porque eu estava usando coturnos, e seria facilmente identificada por olhos imiscuindo-se embaixo da porta. Eu não queria que ninguém sequer se lembrasse de que eu trabalhava ali. Depois, minha bunda reclamou da posição, voltei com os pés para o chão e as lágrimas gotejavam em cima do coturno colorido. Eu achei graça, porque o ângulo estava realmente perfeito, as cores e a luz estavam fodas e aquilo daria uma foto e tanto... Os sapatos esdrúxulos molhados de lágrimas. Eu sou a esteta da desgraça. Consigo achar beleza plástica no meu próprio sofrimento. O que pode indicar que eu não estivesse sofrendo porra nenhuma - mas não é verdade, eu estava.

A evangélica histérica foi se queixar à supervisora. Disse que eu a destratei. Tinham que ver a cara de vítima que ela arrumou pra apresentar na reunião que a supervisora organizou para deslindar o quiproquó. Em suma, eu saí como a bruxa meméia da história, quando estava simplesmente fazendo o MEU trabalho e fui insultada por um arrogante, que tem síndrome de patrão - quando sabemos que o patrão de verdade está nalgum motel da Barra gastando em porra, azeitonas sem caroço e whisky o dinheiro que a empresa lucra, enquanto que este verme chega no trabalho antes de mim - ou seja, antes das sete - maltrapilho e de ônibus, pronto para descontar frustração em cima de quem? Yup, moi.

Eu estou com vontade de implodir.
Mas eu não vou implodir.
Vou aproveitar que tenho consciência de que, mesmo que o mundo esteja fedendo ao meu redor, eu sou uma pessoa limpa. E que meu namorado chato me trouxe ontem latas de skol + biscoito recheado de limão (my fave) + pão de hamburguer + hamburguer + bubaloo e farei a orgia gastronômica da semana.

Desconfie sempre de pessoas que não explodem nunca.
Ninguém consegue manter o controle todo o tempo. Pessoas normais reagem quando tomam porrada, e não são como aquele teu amigo que parece tão legal porque você vive pisando nele e ele faz que não entendeu. Ele entendeu sim, seu otário - e faz vodu contra você pelas costas, enquanto exibe aquele sorriso-falso-default na cara pra que você não desconfie e seja pego de surpresa.

Pessoas dissimuladas podem parecer mais fáceis de se lidar, mas aguarde surpresas negativas no final do período.

No comments

Os comentários são moderados para evitar spam. ♥