Cosme e Damião


Pausa nas fotos de Santa Teresa para registrar esse momento: domingo, dando um rolé pelas praças da cidade, achei todos os gramados cobertos por bandejas cheias de doces. Na véspera havia sido dia de Cosme e Damião. Tenho lembranças engraçadas da infância, sobre isso - vai ser o assunto de amanhã no diário.

Uma infinidade de paçocas, pipoquinhas embaladas em plástico colorido (o famoso "cocô de rato", pra quem se lembra...), balas, pirulitos, aqueles "sorvetes" fake de casquinha, marias-mole, pé-de-moleque, bananada, doce-de-abóbora, "geleinha", enfim... SAUDADE.

E fome - olhem essa foto e veja a que nível de sofisticação gastronômica pode chegar um mero DESPACHO (do bem, mas ainda assim é macumba). Uma torta inteirinha, cercada de copos de guaraná e ovos crus com um furinho na casca (???). O cheiro estava ótimo - é, eu CHEIREI sim, e daí? Juro que, se tivesse visto essa bandeja na hora em que estava sendo oferecida, teria pedido licença pra Cosme e Damião (afinal, eu sou criança, eu posso!) e metido todos os meus 32 dentes no bolo. Mas era domingo, a torta já havia dormido e amanhecido ali. Fiquei com nojinho...

Oi, prazer - meu nome é Lolla Moon e eu sou assim mesmo: SEM NOÇÃO.

I am afraid of her.


E então, como a casa aqui é meio escura, minha mãe teve a bendita idéia de colocar essa santa em cima desse anjo horroroso pra "iluminar o corredor". E daí que eu tenho um puta medo de acordar pra mijar à noite e dar de cara com essa aberração-apostólica-romana ACESA me encarando. Já tive até pesadelo com essa dupla do inferno, ops, do céu! Do CÉU, okay? Relaxa, tia.

E eu vou postar a meia dúzia de fotos que fiz no dia que ganhei a câmera até perder todos os visitantes desse blog. E só hoje aprendi a lidar com a exposição e o flash. O tutorial dela vem num CD-ROM em PDF. Cadê o bom e velho papel?

E só depois que fiz todas as fotos do dia 1º de Setembro de 2003, é que aprendi a tirar a DATA das fotos. Urgh.

Kodakeando.



Acabei de ganhar um presente fofo: uma câmera digital da Kodak, 2 megapixels e tal. Mas, sabe já é dez da noite, eu preciso dormir e estou sem tempo de fotografar algo decente - até porque "chove lá fora e aqui faz tanto frio", como diria o Lobão.

Por isso, fotografei minha salinha cor-de-rosa. O pano em cima da poltrona é o cobertor da Chantilly, minha gata.

Esse foi a "descrição" de foto mais imbecil que eu já fiz na vida. Abstraiam (realmente esse trabalho não está me fazendo bem).