Velha infância.

Freqüentemente alguém vira pra mim e manda a clássica: "você não teve infância, não?".
Essa pergunta é tão recorrente que vou ser obrigada a filosofar. Eu já enchi muitos tímpanos lá no finado blog falando sobre o quanto fui criticada pelo meu jeitinho esdrúxulo de me vestir. Não vou recomeçar com essa lenga (só quero deixar claro que eu me visto de palhaça fashion desde bem antes dos indies e dos clubbers).

Não é que eu não tenha tido infância. Eu tive infância demais. E foi tão boa que eu me recuso a sair dela. Mas eu sou o Peter Pan, não a Wendy. Na Terra do Nunca as crianças têm a sorte de não precisar crescer, porque elas não querem crescer. E justo num lugar deles a mina resolve ser a "mãezinha", cuidar dos meninos perdidos e fazer comidinha pra eles?!? A Wendy é o estereótipo da amélia e merece morrer no gancho do capitão ou ir fazer companhia ao relógio na barriga do jacaré da história, só para não dar esse péssimo exemplo às meninas.

Mas até que procede. Nós mulheres aparentemente nascemos velhas. Os homens nos enrolam direitinho com o papo "vocês amadurecem mais cedo". Por “amadurecer” entenda envelhecer, ficar chata, careta, contando calorias e medindo celulites, tomando anticoncepcional que faz mal ao coração, fazendo plásticas sacrificantes para manter a admiração deles, carregando os filhos deles, fazendo tripla jornada (trabalho, casa, vida) e ainda achar que somos "poderosas" por isso.

Jura que somos tolas assim? Ou existe algum benefício oculto em fazer esse papel de idiota e eu ainda não descobri? Se for isso me contem, porque senão vou morrer solteira, dando pra todo mundo, bebendo muita cerveja e achando que isso é legal.

Bem... Já me disseram que eu me visto desse jeito, que eu me comporto desse jeito (comportamento? Eu não me comporto feito criança! Eu não uso fraldas nem chupetas e não esperneio quando quero alguma coisa... Bom, pelo menos não de forma muito ostensiva) porque tenho inveja da juventude. Acho crianças em geral chatas e adolescentes em geral idiotas, mas tenho inveja sim - da falta de responsabilidades, e só. Mas eu posso muito bem ser adulta E irresponsável; basta que eu seja também corajosa para agüentar as conseqüências.



Mas, da "juventude"? Nah. Não se pode invejar pessoas por algo que elas não têm. Crianças e jovens não têm o elixir da juventude dentro de um vidrinho na prateleira do banheiro. Eles não são jovens, eles ESTÃO jovens, assim como eu já estive, e ainda estou, se comparada a Matusalém. A juventude nós apenas pedimos emprestada ao Tempo, para fins de aprendizado. Um dia o Tempo vai pedir de volta. E aí, não adianta usar camiseta das Powerpuff Girls, nem meinha listrada. No matter what you do, a funerária precisa de clientes.

Tô com fome.

No comments