Happy 2004

É, eu voltei. Cabo Frio está uma lindeza, mas não foi tão bom quanto poderia.
Fui com gente diferente e senti falta dos meus programinhas dondoca fútil wannabe. Nada de passadinhas rápidas em Búzios pra passear de escuna pelas ilhas e comer caldeirada e fazer fotos bucólicas da Praia dos Ossos. Nada de caminhadas vespertinas pelo Canal tomando sorvete a quilo na galeria e olhando as sepulturas do cemitério do mosteiro. Fiquei de mau humor poser.

A noite do dia 31 quase foi atravessada por uma moça (eu) vendo o show da virada numa casinha de bairro em cabo Frio. Isso porque meus acompanhantes estavam mais interessados em beber cerveja barata no quintal e se lançar em discussões pouco profundas enquanto talvez pela primeira vez na vida eu queria sair e ver GENTE - esses feriados de fim de ano decididamente não fazem bem para a minha cabeça. Um cara chato grudou em mim e queria que eu fizesse fotos dele nu para a internet com fins matrimoniais (estava muito interessado em começar 2004 adquirindo marido) e disse que ia casar de vermelho na praia, mas a recepção depois ia ser careta. E ele foi pra Praia das Dunas todo vestido de preto (ia de branco mas mudou de roupa pra me imitar, a figuríssima) e à meia noite se despiu e mergulhou as primeiras sete ondas do ano e jogou palmas brancas pra "Iemanjar" (um doce de entidade) e pediu um esposo. E os fogos foram lindos e eu reafirmo que fogos de artifício seriam capazes de me fazer desistir de um suicídio mesmo se a corda já estivesse no pescoço. Fogos são a felicidade se mostrando possível mesmo que passageira, são a vida me chamando de volta - e eu sempre atendo.

Feliz ano novo, muchachos.

No comments