sobre felinos e home improvement.

tô melhorzinha.
desculpem os termos do último post, mas decepção é uma coisa que realmente me tira dos trilhos. e a verdade é, whatever will be, will be. o que tiver que ser, será.

ligamos para o veterinário chucrute e descobrimos que ele está "de férias" (ele deve tirar férias mensais, porque não é a primeira vez que tentamos ligar e ouvimos a mesma resposta). o substituto checou nossos dados e disse que o passaporte da chantilly não havia sido ainda "totalmente preenchido". o veterinário oficial chega na segunda e nós iremos até lá levar um papo com ele e perguntar por que RAIOS ele não preencheu o passaporte. isso poderá nos salvar muito tempo e, quem sabe, ela até tenha sido testada aqui e ele, muito oportunamente, se esqueceu de mencionar. dedos (das mãos e pés) cruzados.

agora vamos falar de coisas bonitas, porque eu preciso, você precisa, nós precisamos.

uma das coisas que mais gosto de fazer online é passear por blogs de decoração e artesanato. confesso uma falta de paciência absoluta para lidar com agulhas de tricô/crochê, e nesse caso prefiro admirar do que tentar fazer igual. já decoração interior é uma paixão. vejo fotos como essas abaixo (saídas do blog an angel at my table) e sinto vontade de sair correndo desse apartamento claustrofóbico, voltar para a minha casinha e começar a comprar tintas, madeiras, percorrer brechós de móveis usados e lojas de tecido baratinhas e transformar tudo em poesias visuais como essas:







o blog é simplesmente lindo e merece visitas frequentes. mesmo que você não esteja, como eu, em processo de reformar a sua casa, e queira apenas dar um pouco de prazer aos seus olhos depois de ler tantas notícias ruim na internet.

e caso você pense que redecorar a casa nesse estilo custa uma fortuna, eu digo que na verdade comprar móveis novos e modernos é que sai caro. não existe uma única cadeirinha "nova" na minha casa. tudo foi herdado, comprado usado ou reciclado. móveis antigos, de segunda mão, já se provaram fortes ao resistir ao teste do tempo. na maioria das vezes, tudo o que eles precisam é de umas boas mãos de tinta ou verniz para voltar à vida, prontos para aguentar mais 100 anos de uso. tecidos custam barato (e eu já até reciclei cortinas/colchas velhas para fazer almofadas e panos de cozinha) e criatividade é de graça. :)http://i830.photobucket.com/albums/zz222/lollaloves/2007/05/at10.jpg

e depois, dá até vontade de lavar roupa numa área de serviço assim, não?