das pessoas. e paris.

paris, outono de 2007.
eu batia perna a esmo pela champs-elysées (andei do boulevard saint-germain até lá) e, cansada, resolvi me sentar num banco para dar um refresco aos pés, enquanto me divertia observando os turistas hilbillies americanos tendo ataques diante das vitrines suntuosas, decoradas com pequenas obras-primas de couro pousadas sobre stands de vidro. depois de alguns minutos fazendo a conversão euro/dólar, a reação era invariavelmente a mesma: "800 hundred dollah?? i ain't gát no 800 dollah to pay for thá!!! are they out of their máinds?". uns amores. e cobertos de razão.

enfim. saindo de um mcdonald's, um grupo de turistas brasileiros. três rapazes e uma moça, cerca de 20-25 primaveras, roupas inapropriadas (casacos demais e nem estava fazendo tanto frio assim), vozes altas, sotaque carióóóaca. não prestei atenção, mas descansada já estava e me pus a andar na direção dos tuileries. eis que de repente ouço vozes em português de pessoas que caminhavam atrás de mim - sim, eram eles. e o diálogo, mais ou menos esse:

- aquela ali não é francesa meeeeeixmo!
- como é que você sabe?
- muito mal vestida! (ai, lolla moon, você, seu vestidinho jaeger, sua bota-comprada-no-brechó e sua bolsa saint laurent marks & spencer podiam ter dormido sem essa!)
- deve ser argelina, então, haha!
- eu não acho! tem cara de... indiana! (pelo visto não só os paquistaneses de londres me acham com cara de comedora de poppadom)
- é indiana sim, deve ter vindo lá de bangladesh (oi, te dou uma aula de geografia moderna?)
- não, na índia eles passam fome, ela está muito gorda pra ser indiana! (UGH)
- erm, gente, vamos falar baixo por favor? vai que a mulher entende português ou é brasileira?

era a minha deixa, não?
me virei, abri um sorrisão, fiz sinal de joinha e disse: "BINGO!"

a CARA que eles fizeram valeu cada "insulto".

torre da igreja de saint-germain-des-prés (o bairro onde ficamos) à noite + minha humilde sacolinha da ladurée - no fundo uma padaria metida a besta. paguei caro pela caixinha de macaroons só para descobrir que os que comprei em chartres, por uma fração do preço, eram bem melhores.



a famosa (e super fotografada) escadaria da catedral de sacré-coeur em montmartre. e a torre óbvia.



no quartier latin não deixe de ir tomar uma caipirinha nesse bar (foto à esquerda). não me lembro o nome (fácil de achar, porque toca salsa e ritmos latinos e dá pra ouvir do lado de fora), mas serve a caipirinha mais barata do bairro durante o dia. quando anoitece o preço vai nas alturas, como sempre, mas o lugar enche de gente de todas as nacionalidades. os garçons são meio idiotas, mas em se tratando de paris, antes idiota do que mal educado. à direita, a decoração natalina da galeria lafayette.


fotos nada a ver: o banheiro do hotel, com uma janela enorme que me fazia perguntar, "será que o vizinho está vendo a minha bunda?" e o menu do "boteco de luxo" chamado les deux magots, onde o preço da comida é inversamente proporcional à qualidade do serviço. ou seja, espere vender um fígado para pagar a conta de duas cervejas pequenas, e ser ignorado durante todo o tempo. c'est paris, mon amis.


a famosa place des vosges, tida e havida como o quadrilátero mais belo da cidade, e a vista da janela do banheiro.



está vendo aquela janelinha ali? pois é. tenho certeza de que eles viram o meu traseiro.
e devo me dar por feliz, já que não me mandaram a conta do psicólogo.

cenas de um aniversário

o bolo na varanda, à espera do birthday boy.



birthday boy...



bolo.



estava uma delícia, por sinal.
e, como todo BOM bolo, melhor ainda no dia seguinte.

a felicidade pode ser tão simples quanto um pedaço de bolo dormido.

pielavesi, finland, 24 de agosto de 2007.

carnaval multicultural

Ingredientes:
- uma carioca;
- uma capixaba;
- uma cubana;
- uma cubana/portuguesa de cinco anos;
- um sábado à noite em jersey;
- algumas latas/garrafas de cerveja;
- uma coreografia do É o Tchan improvisada;
- uma imitação da Victoria Beckham;
- uma câmera;

Modo de Fazer:
Leve tudo para a sala, misture ao som da Leona cantando na BBC, aquela com um aquecedor elétrico que vive sendo derrubado e adicione gotas de café com leite, iogurte e pizza.

Agite antes (e durante, e depois) de usar.







casa da júlia, sábado passado.

p.s.: na verdade eu não fiz fotos, e sim vídeos - mas como os arquivos ficaram pesados (30-40MB cada, e olha que são vídeos curtos) o youtube empacou. só pude fazer esses screen caps; mas se alguém souber me explicar como reduzir o tamanho dos vídeos, eu agradeço.