Toastie toesies.

Finalmente, pés quentinhos! A lareira chegou há várias semanas, mas só agora depois de muita espera ela foi instalada. O senhor que limpa a chaminé veio no sábado passado e deu o sinal verde para a primeira "Noite em frente à lareira" de 2008. Na verdade, a primeira nesta casa. :)


Não parece, mas ela é grande e esquenta bem. Planejando tostar uns marshmallows ali em breve.

E agora eu também tenho flores na janela. Abandonei as artificiais, passei no garden centre, rodopiei por mais de meia hora tentando achar algum pote com plantas que não estivessem parecendo uma salada que ficou três semanas na geladeira (inverno, gente...) e saí de lá com essas "flaming katy" (kalanchoe):




São bonitinhas e requerem poucos cuidados. No inverno, quando tudo está morto, seco ou hibernando, achei que seria terapêutico trazer um pouco de cor e vida para dentro da casa. Essas vão florescer por umas 8-10 semanas, e depois posso jogar os potes no lixo. Ah, o encanto das flores anuais...

De blog em blog, caí no Flickr Cotton Blue e fiquei boquiaberta com a casa da Wan, a dona do stream. Ela mora numa casa pequena (70 metros quadrados) numa cidadezinha litorânea a 20km de Tóquio. Hm, casinha linda e pequena? Perto do mar? E a 20km de TÓQUIO??

Alguém me segura que eu quero roubar a vida dessa mulher. Ou, pelo menos, copiar a casa dela. INTEIRA.



Segundo ela, quase tudo o que se vê nessa estante abaixo foi comprado em brechós e sebos.



Fundos brancos + tons pastéis = LOVE.



Quero morar nessa salinha pro resto da vida. Se aquele sofá ali fosse sofá-cama, eu só precisaria de um banheiro, um microondas e mais nada.



Não basta ter As estantes fofas. É preciso entupi-las com coisas bonitas e de forma ordenada. Senão ficam parecendo estante de loja de segunda mão (como as minhas... nhé).







(mais fotos aqui)

Inclusive, Wan tem uma loja deliciosa no Etsy, daquelas que nem é bom clicar se você gosta de tecidos e artigos de armarinho, sob o risco de gastar todo o seu dinheiro em coisas lindas que terá pena de usar. O que é essa fita de linho decorada? E esse tecido com estampa de matrioshkas (idem para essa aqui)? E os carimbos, fitas adesivas, artigos de papelaria? Morro de vontade de sair comprando os retalhos em quadradinhos que ela vende para montar um quilt, mas como eu sei que a preguiça mata todos os meus projetos antes que eles abram os olhinhos, eu mordo o dedo, fecho o browser e vou ali comer mais Haagen Dazs praliné & cream. Hmmmmm.

pula a fogueira, iaiá.

Então, acabei de voltar da "fogueira" (Bonfire Night) do bairro. Que aliás devia ter acontecido semana passada, mas foi adiada por causa do mau tempo. É praticamente uma festa junina, com direito a barraquinhas de comidas típicas, quentão, caixas de som tocando música ruim em altíssimo volume, adolescentes tentando arrumar namorado(a), um sem número de crianças se melecando com doces, fogos de artifício e, claro, uma fogueira imensa. Só faltou mesmo a quadrilha, mas isso os ingleses resolvem colocando alguns bêbados para subir num palquinho e pagar mico no karaokê.

O saldão da noite: três mini donuts, quentão, sanduíche de porco com purê de maçã, um café e "droga, aquele jeans não vai entrar nunca mais". Sem mencionar o "correio do amor" que recebi de um moleque de, no máximo, 14 anos. De touca. E luvinhas sem dedo. E que havia acabado de cantar My Chemical Romance no karaokê. É impressionante o meu karma. Alguém deve ter me rogado uma praga do tipo "lollamum haverá de receber correio do amor de pirralhos imberbes em quermesses pelo resto da vida".

Esqueci de publicar as fotos do Jeri Moon. Imperdoável. Esse ano não tem making of porque eu não fui avisada do início do processo e, quando adentrei a cozinha, o Jeri já estava em sua forma mais ou menos definitiva. Ei-lo sendo aceso:



Cumprindo sua função e sendo orgulhosamente exibido pelo Criador:


Yup, eu gosto de Lanterns básicos. Adoro os Jacks vomitando ou artisticamente esculpidos, mas na minha porta eu sou tradicionalista. Sorry.

Reclamei tanto do terracota das paredes da sala e acabei esquecendo de postar justamente ela. Então, sala 2 (ainda estava meio pelada nessa época, e todos os móveis que você vê nessa foto, exceto o gaveteiro no fundo à direita, vieram do Brasil):




Sala 1 (na verdade é a mesma, já que derrubamos uma parede e transformamos duas salas pequenas + corredor em uma sala grande... não aprecio paredes desnecessárias). E essa é a minha árvore de Natal, ano passado.


Technicolor House 2, A Missão.

Me pediram fotos das paredes daqui de casa para ver as cores das quais eu falava. Eu já tinha feito um post parecido, mas rodei os arquivos e não consegui encontrar. Vai ver as fotos estavam hospedadas em algum site mequetrefe e saíram do ar.


A imagem acima dá uma boa idéia do "arco íris doméstico". A parede azul é a do meu quarto, a bege rosada é a do corredor, a verde é a do banheiro do Respectivo e a amarela é a do quarto de hóspedes (praticamente vazio).


A tinta do meu quarto é da Dulux, e tinha um nome bonitinho que eu obviamente esqueci de anotar. O tom é na verdade mais "aberto" do que parece nas fotos, bem relaxante e eu apelidei de "azul soninho". Só preciso arrumar alguma coisa para ocupar esse espaço na parede acima da cama.


Parênteses para os quadrinhos fofos que achei por 50 centavos no brechó. Gosto muito de gravuras antigas com motivos florais. A "penteadeira" veio de Petrópolis, a mesma loja mencionada no post anterior onde achei a escrivaninha/secretária. Não consigo decidir se pinto de branco para seguir o esquema de cores do quarto ou se deixo como está.


Banheiro do respectivo. Fui contra a escolha das cores, mas no fim acabei concordando, porque acredito que a melhor forma de se ensinar algo a alguém é deixar a pessôua quebrar a cara tentando. :) No fim das contas quem quebrou a cara fui eu, porque o resultado ficou interessante e nem tão escuro quando imaginei. O porco rosa gostou tanto que saiu do banheiro do térreo de mala e cuia para morar no "ervilhão". Mas sabe qual é a melhor coisa desse banheiro??


Fora a vista para o jardim, claro. É esse porta papel higiênico em formato de carro vintage (bastante apropriado...), que foi encontrado dentro de uma caixa de papelão cheia de entulhos, indo pro lixo durante as obras da casa. Certamente pertencia aos antigos moradores, e eles certamente não queriam mais... E se queriam, azar o deles, porque nem perguntei e fui logo pendurando na parede.


O "amarelão" é o "quarto" de hóspedes. Uma desperdício ver um cômodo tão grande vazio e mal utilizado. E pintado numa cor tão feia. Ok, eu confesso - fui eu que escolhi essa coisa tenebrosa. Em minha defesa, juro que na LATA a cor era linda. Igual às mousses de limão que mamãe fazia para a sobremesa. Tomada pela nostalgia obesa, meti a lata no carrinho e pintei sozinha o quarto inteiro de uma tacada só. Hoje em dia só consigo entrar nele usando óculos escuros.


Meu banheiro é o maior da casa e fui logo me apropriando dele com a desculpa (bastante válida) de que eu precisava de um banheiro grande para estocar bagulhos - já que ele só queria uma prateleira para creme de barbear e pasta de dente. É verdade que o espaço do chuveiro dele é quase duas vezes maior do que o meu, but I don't care - porque yes, nós temos banheira! A minha pia também pertencia à casa e estava quase sendo jogada fora na reforma. Instalada, eu transformei um pano de prato em cortininha para esconder a bagunça, e pus cestinhas de vime no fundo. Esse espelho com moldura de mosaico de vidro foi comprado por 30 reais no Rio, numa lojinha multi-uso chamada "Casa do Queijo". Classy.

E dois Tumblrs maravilhosos que descobri recentemente: Dear Old Love, onde os leitores enviam anonimamente pequenas notinhas que gostariam de ter enviado aos seus ex-amores. Inclui pérolas como "sinto falta de encontrar seus pelinhos no meu sabonete", "senti o seu perfume no elevador e ele me fez voltar a 10 anos atrás; uma senhora vestida de adolescente é quem estava usando", "eu ainda assisto todo dia aos seus programas preferidos de TV - aqueles de que eu nunca gostei", "eu sempre preferi o SEU travesseiro... Agora que ele é só meu, não gosto mais tanto assim", "mais do que qualquer outra coisa, eu sinto falta do seu cachorro". Impossível não se identificar com pelo menos algumas. O outro no que me viciei horrivelmente é o Copycats, trazendo covers e remixes; é música feita por gente boa tranformada/reinterpretada por gente ótima, e dá pra direto ouvir no site. Enjoy!

Tea time

E porque nem sempre a gente pode escolher um dia bonito para o chá...










Parte dessas fotos não passa de desculpa barata para exibir minhas meias coloridas que eu vou levar para o Brasil; o problema é usá-las no calor. Já aceitei o fato de que não fico bem de jeans e que vestidinhos doravante serão a base do meu guarda roupas - porém, acostumada a usar meias diariamente por aqui, não sei se me acostumo novamente a desnudar as pernas.

bureau desk & things that make me happy

Eis a minha bureau desk (alguém sabe o nome desse tipo de mesa em português, que não seja "escrivaninha"?), versão fechada e aberta:


Comprei a mesa em bom estado numa loja de móveis usados em Petrópolis, região serrana do Rio. Já era branca, mas estava toda manchada - dei uma mão de tinta rápida quando chegou e nunca terminei o serviço. Em resumo, adoro os recortes, as gavetas são bem grandes e a mesa é estável. Coube direitinho no vão da janela, e eu devia escrever mais cartas só para poder sentar nesse cantinho com mais frequência.

Por falar em cartas, recebê-las de amigos distantes é uma das pequenas coisas que iluminam manhãs cinzas como essa.


Outro dia eu estava no ônibus e ouvi o menininho perguntar à mãe "por que as árvores ficam peladas logo no inverno, quando faz tanto frio?". Awww. Encontrar maneiras criativas de se responder a essas perguntas idiotas/geniais das crianças deve ser o grande barato de se ter filhos. As "peladas" vistas através da renda das janelas são até bonitas, quase tanto como a boneca que acabei de receber (devidamente restaurada) da minha amiga no Japão. Não parece (porque ela é séria), mas ela está muito feliz por ter voltado a ser linda.



Brunch (meu usual café da manhã + almoço quando acordo tarde): suco preferido que voltei a achar no supermercado depois de longa ausência, sanduíche de queijo e salame, e o que sobrou da minha sopinha chinesa do jantar.




E essa parede tinha que ser minha, alguém discorda? ;) Infelizmente, não é. Achei no livejournal, mas sem a fonte.



Não jogue fora suas janelas velhas: pendure-as na parede! Eu estou considerando reutilizar as antigas (que vão ser trocadas agora) da casa da sogra como porta retratos na parede.



E isso me lembra de que a minha geladeira branca está muito séria e chata: