Cobiça

Eu devia estar plantando meus bulbos (tenho 160 para plantar; OI, alguém topa vir me ajudar a fazer furos pelo jardim na CHUVA e temperatura de CINCO graus centígrados? Obrigada!) ou fazendo as malas (viajo em duas semanas). Ao invés de fazer algo útil e sensato, pego minha caneca de café da Hello Kitty, três biscoitos de aveia (ok, quatro...) e me sento na frente do computador para arrumar mais problemas para a minha vida; e o mais novo (que descobri através da Yvestown) se chama Decorative Country Living. O nome é bem explicativo; não posso me queixar de não ter sido avisada antes de clicar. Olha só o interior da loja:




Fica em Lincolnshire (alô quem mora perto, uma loja assim deve valer uma visita, nem que seja para alagar o chão de baba... Se eu morasse perto, pediria para morar lá dentro; pagava aluguel e tudo), numa capela reformada do século XIX (ai, ai) e o pior: envia aqui pra Jersey. Oi, me danei e já estou devendo até o pescoço? Ok, comprar eu ainda não comprei nada (as said before, tô de saída e vou passar o inverno inteiro fora), mas há coisas que eu muito quero e coisas que eu muito quero copiar.

Os coraçõezinhos são adoráveis, mas acho que consigo fazer em casa com arame, contas, alicate, barbante e fita gingham vermelhinha. Também achei fofo o cabideiro onde estão penduradas - um pedaço de madeira velha + pregos. Bem rústico.


Esse é ainda mais simples: botões de madrepérola (falsos ou não...) e arame. Devem ficar uma graça como enfeites de árvores de natal (também em botões vermelhos).


Tão simples que não há nem desculpa para não sair fazendo vários. Pensei também em usar botões coloridos e no meio bordar o nome de uma criança. Ficaria legal para um quarto infantil. Taí uma idéia de presente de natal. Borde em linho ou pano colorido liso. Dependendo da cor dos botões, o tecido pode ser até estampado. A moldura pode ser um porta retratos barato qualquer, que você pode pintar de uma cor que combine com o bordado/botões/tecido. Eu tenho aqui várias molduras como essas, que comprei por centavos na Rua da Alfândega no Rio.


Eu também adoro essas letras, mas a) teria que comprar, porque né, não há como cortar madeira ou metal tão bem assim e b) já vi em TANTOS lugares que já estou começando a achar clichê. Mas são lindas.


Ok, isso aí não tenho como fazer também, então entrou na lista do "quero comprar". Ainda mais sendo baratinhos: £4.50 cada um. Oi, eu sou a louca dos sabonetes. Tenho uma cesta cheia deles no banheiro. Não posso ver um sabonete diferente, com formato bonito, cheiro interessante, cores vibrantes ou embalagem fofa que compro. Não tenho coragem de usar nenhum, entretanto, e tomo banho com sabonete vagabundo de supermercado. Eu me amo.


Mais sabonetes! Esses são de azeite de oliva e devem fazer maravilhas pela pele. Ok, acho que desses eu usaria pelo menos um. Os baldes reciclados também são lindos, mas tenho vontade de fuçar caçambas de lixo perto de lugares onde estejam rolando obras... Geralmente eles jogam vários desses no lixo.


Continuando no tema jardim, também adorei essas cestas. São forradas com plástico para permitir que se plante flores de verdade. Não sei se eu teria coragem de deixá-las no jardim, entretanto. Dessas eu consigo achar por aqui. :)


Também sou a louca das luminárias. Tenho algumas espalhadas pela casa e sempre quero mais, porque não há nada que se compare com a luz que vêm delas. Não fosse o medo de incêndio devido ao meu estabanamento, eu só usaria velas para iluminar a minha casa.


That's all, mas no site tem muito mais. Clica lá. Ou não. :)


E, antes de ir embora (porque eu não aprendo), olha só isso e vê se não dá vontade de ir pra cozinha fazer bolinhos e biscoitos em forma de coração?






Por sorte a loja é finlandesa e eu não entendi nada, nem se mandam pra cá ou não... ufa!
Peraí... A minha sogra é finlandesa. Será que se eu mostrar o site pra ela eu... GAHHHHH!

*fecha browser*

P.S.: Sim, tem versão em inglês, mas apenas da página de apresentação. Ou seja, não adianta muito.
P.S.2: Pus um link pro feedburner ali na sidebar; quem usa feed, favor testar e avisar no guestbook se funciona? 'kthanks!

Toastie toesies.

Finalmente, pés quentinhos!! A lareira chegou há várias semanas atrás, mas só recentemente, depois de muita espera, ela foi instalada. O senhor que limpa a chaminé veio no sábado passado e deu o sinal verde para a primeira "Noite em frente à lareira" de 2008. Na verdade, a primeira nesta casa. :)


Não parece, mas ela é bem grande e esquenta bastante. Lareiras com "fogo aberto" têm a vantagem de espalhar o calor mais depressa, porém as fechadas mantém a madeira/carvão queimando por mais tempo, gastando menos combustível e aquecendo de forma mais eficiente. Fora que não há risco de alguma eventual fumaça vir parar dentro da sala e acionar o detetor de incêndio (o barulho não é NA-DA agradável). Planejando tostar uns marshmallows ali em breve.


E agora eu também tenho flores na janela. Abandonei as artificiais, passei no garden centre, rodopiei por mais de meia hora tentando achar algum pote com plantas que não estivessem parecendo uma salada que ficou três semanas na geladeira (inverno, gente...) e saí de lá com essas "flaming katy" (kalanchoe):




São bonitinhas e requerem poucos cuidados. No inverno, quando tudo está morto, seco ou hibernando, achei que seria terapêutico trazer um pouco de cor e vida para dentro da casa. Essas vão florescer por umas 8-10 semanas, e depois posso jogar os potes no lixo. Ah, o encanto das flores anuais...


De blog em blog, caí no Flickr Cotton Blue e fiquei boquiaberta com a casa da Wan, a dona do stream. Ela mora numa casa pequena (70 metros quadrados) numa cidadezinha litorânea a 20km de Tóquio. Hm, casinha linda e pequena? Perto do mar? E a 20km de TÓQUIO??

Alguém me segura que eu quero roubar a vida dessa mulher. Ou, pelo menos, copiar a casa dela. INTEIRA.



Segundo ela, quase tudo o que se vê nessa estante abaixo foi comprado em brechós e sebos.
E eu adoro esse tipo de estante de parede, até me animaria a fazer uma e depois lixar (para deixar as bordas com esse arzinho de "usado", mas como não vou conseguir cortar os detalhes arredondados, desisto do projeto (até comprar as ferramentas necessárias, haha).



Fundos brancos + tons pastéis = LOVE.



Quero morar nessa salinha pro resto da vida. Se aquele sofá ali fosse sofá-cama, eu só precisaria de um banheiro, um microondas e mais nada.



Não basta ter As estantes fofas. É preciso entupi-las com coisas decentes e de forma coordenada. Senão ficam parecendo estante de loja de segunda mão (como as minhas... nhé).






Inclusive, Wan tem uma loja deliciosa no Etsy, daquelas que nem é bom clicar se você gosta de tecidos e artigos de armarinho, sob o risco de gastar todo o seu dinheiro em coisas lindas que terá pena de usar. O que é essa fita de linho decorada? E esse tecido com estampa de matrioshkas (idem para essa aqui)? E os carimbos, fitas adesivas, artigos de papelaria? Morro de vontade de sair comprando os retalhos em quadradinhos que ela vende para montar um quilt, mas como eu sei que a preguiça mata todos os meus projetos antes que eles abram os olhinhos, eu mordo o dedo, fecho o browser e vou ali comer mais Haagen Dazs praliné & cream. Hmmmmm.

shorts, shorts, shorts...

Jane Birkin, Paris, 1970... Londres, 1976.



Nadia Cassini, 1970... Mary Quant, 1971.



Paris, 1971... San Francisco, 1971.



Jodie Foster, 1976... Alemanha, 1968.


Segundo as fashionistas, eles não ficam bem em todo mundo (independente do Índice de Massa Corporal) mas, para as mulheres de épocas passadas, o que realmente importava era o ato de rebeldia implícito em usá-los. And that's why I love them. :)

pula a fogueira, iaiá.

Então, acabei de voltar da "fogueira" (Bonfire Night) aqui do bairro. Que aliás devia ter acontecido semana passada, mas foi adiada por causa do mau tempo. É praticamente uma "festa junina versão UK", com direito a barraquinhas de comidas típicas, quentão, caixas de som tocando música ruim em altíssimo volume, adolescentes saracoteando para cima e para baixo tentando arrumar namorado(a), um sem número de crianças chatas se melecando com doces, fogos de artifício e, claro, uma fogueira imensa. Só faltou mesmo a quadrilha, mas isso os ingleses resolvem colocando alguns bêbados para subir num palquinho e pagar mico no karaokê.

O meu saldão da noite: três mini donuts, quentão, sanduba de porco com papa de maçã, um café e "merda, aquele jeans não vai entrar em mim nunca mais". Sem mencionar o "correio do amor" que recebi de um moleque de, no máximo, 14 anos. De touca. E luvinhas sem dedo. E que havia acabado de cantar My Chemical Romance no karaokê. É impressionante o meu karma. Alguém deve ter me rogado uma praga do tipo "lollamum haverá de receber correio do amor de pirralhos imberbes em quermesses pelo resto da vida".

Esqueci de publicar as fotos do DEPOIS do Jeri Moon! Imperdoável. Esse ano não tem making of porque eu não fui avisada do início do processo e, quando adentrei a cozinha, o Jeri já estava em sua forma mais ou menos definitiva. Ei-lo sendo aceso:



Cumprindo sua função e sendo orgulhosamente exibido pelo Criador:


Yup, eu gosto de Lanterns básicos. Adoro os Jacks vomitando ou artisticamente esculpidos, mas na minha porta eu sou tradicionalista. Sorry.

Reclamei tanto do terracota das paredes da sala e acabei esquecendo de postar justamente ela. Então, sala 2 (ainda estava meio pelada nessa época, e todos os móveis que você vê nessa foto, exceto o gaveteiro no fundo à direita, vieram do Brasil):




Sala 1 (na verdade é a mesma, já que derrubamos uma parede e transformamos duas salas pequenas + corredor em uma sala grande... não aprecio paredes desnecessárias). E essa é a minha árvore de Natal, ano passado.


Totalmente de alho para bugalhos. Carioca é um bicho TÃO insuportável às vezes (me perdoem as exceções) que eu não sei com que SACO vou passar três meses no Rio. Agora que o The Sartorialist esteve por lá no Claro Rio Summer fotografando pessoas, celebrities e inutilities para o site dele, a cariocada a) deslumbrou e b) invadiu em massa os comentários do site para anunciar orgulhosamente a Naturalidade e deixar os seus super hiper ultra mega importantes pitaquinhos. A saber:

1) Dar sugestão de turismo para o cara (que é ocupadíssimo e, bem, está cagando para Rio Guide improvisado e praquele "restaurantezinho ótimo da minha cunhada no Jardim Botânico");

2) Apresentar palestras relâmpago a respeito de carioquês. "I hope that you understood what means SAIDEIRA". Porque wow, né, a vida da Natalia Vodianova nunca mais será a mesma depois que ela aprender a pedir mais uma cachaça no Bracarense. Então.

3) Corrigir a pronúncia em português dos gringos. Tipo, hellow-que-tal-olhar-seu-rabo e notar que você também erra no inglês? E se você, que se propõe a acompanhar blogs em inglês, não se preocupa em dominar o idioma, porque alguém teria que se propor a aprender o seu dialeto? Sinxergol, anyone?

4) Re-re-reafirmar pela enésima vez que o Rio é a cidade mais linda do mundo. Insira bocejos, muuuuitos bocejos, aqui. O conceito de beleza é relativo e, ainda que não fosse, quem é que está interessado nessa opinião pra lá de parcial, mesmo?

5) Sendo expatriado, devidamente exclamar em maiúsculas um "AI QUE SAUDADE DO RIO!!" (mas pergunta se eles querem voltar? Pergunta se não é mais gostoso ter saudades do Rio tomando cappuccino e passeando de echarpe pelas ruas limpinhas e sem trombadinha da Europa?)

6) E, como de praxe, mandar todo mundo ir visitar a bendita Favela da Rocinha. Eu já me manifestei aqui sobre o quanto eu ODEIO essas Favela Tours? Não vejo graça em turismo que glorifica pobreza e na galera que se aproveita da carência dos pobres e da curiosidade dos gringos para pagar o condomínio de 3 mil reais das suas coberturazinhas em Ipanema (sem vista para favela nenhuma, of course).

E toca galera querendo provar que conhece o Rio mais a fundo que o outro, e os gringos lendo os comentários e se perguntando "what in the holy flying the fuck?" e as miguxas gringocas me interrogando "Por que as pessoas se excitam tanto assim quando se fala da cidade delas? Eu não vejo isso acontecer quando o Sartorialista visita qualquer outra cidade." Eu até responderia "problema de auto estima, sweeties", mas prefiro fazer a surda-muda-louca e ignorar a pergunta.

EDITADO: acabei de achar um post hilário na Katylene (que aliás super voltou) mencionando o fato e ainda tirando uma com a cara dos carióacas. Porque o Sartorialista tirou foto de quiosque de praia, de cachorro, pombo brigando, crianças jogando futebol na areia, Valentino (italiano), Natalia (russa), modeletes no evento; mas carioca estiloso passeando pelas ruas, ó: pocacoisa. Lol.