Choques culturais

A patriçada no Brasil se matando por uma calça da Diesel e aqui elas estão em promoção pelo equivalente a 150 reais. Nem assim eu quero uma.

Pergunto à moça do apartamento em Londres (onde alugarei um quarto) se posso usar a cozinha. Ela responde: "É claro, mas você sabe como é que é por aqui, né? Usamos mais o microondas".

Não sei não, dona. E depois de ouvir essa não é de admirar que o povo que se muda pra Londres reclame tanto da comida. Eles só comem comida congelada (que mais parecem vômito de gato reprocessado) e se recusam a cozinhar. A verdade é: não é que "comida da Inglaterra" seja ruim. Bife, batata, arroz, galinha têm o mesmo gosto em qualquer lugar. Basta pôr na panela. Uma cebolinha, alho, ervas. Nham.

Eu, por exemplo, nunca comi tão bem na minha vida. Comer salmão no Brasil? Difícil, dado o preço e a dificuldade de encontrar. Bacalhau fresco? Legumes consumidos na época certa? Vinhos de boa qualidade? Variedade de queijos? Passei anos comendo aquela borracha branca sem gosto e aqui tenho cheddar, camembert, dolcelatta, boursin, edam, roquefort, port salut, stilton, etc, etc, queijos do mundo inteiro, sabores variados, e tudo isso comprado por mixaria na lojinha da vila.

O melhor bolinho de bacalhau que comi na vida foi num restaurante português na Inglaterra. A melhor caipirinha na Alemanha.

Saudade de comer feijão? Dê um pulo em Chinatown; feijão preto é usado em algumas receitas chinesas, então é fácil achar. Não encontra mandioca? Pare de andar em círculos num raio de 20 metros de onde você mora, procure bairros de população africana e os mercadinhos terão aipim para vender. Há lojinhas de brasileiros espalhadas por Oxford Street onde você vai achar coxinha, café Pilão e farinha de mandioca se bater mesmo uma nostalgia (se bem que café colombiano é tão bom quanto o brasileiro e se encontra em qualquer supermercado),

Em suma, querer voltar pra casa por estar com "saudade da comida" só se traduz de uma forma: você não sabe ou não quer cozinhar.
Então assuma a preguiça e pare de reclamar.