Aleatórias da semana

Fiz um bolo que tinha tudo pra ficar lindo (bati claras em neve e tudo, vejam só) e ele SOLOU amargamente. Não por culpa minha e sim do forno, que está desregulado. Comecei a assar e só levou cinco minutos para que a crosta ficasse marrom bombom com manchas pretas na superfície e o resto da massa completamente crua. Tirei às pressas do meu forno precário e o transportei para o da sogra, cruzando o quintal segurando a fôrma com luvas de cozinha (eu JURO que só faltaram os bobs na cabeça para virar o arquétipo da Amélia... vexatório). O bolo terminou de assar, mas não ficou tão fofinho como eu esperava. Resolvi o problema fazendo uns furos com garfo e despejando em cima uma mistura de leite, açúcar e essência de baunilha. Está comível e come-lo-ei com chá.

E, por falar em chá, como você prefere o seu? Forte, fraco? Com ou sem leite? Limão? Uma ou duas colheres de açúcar, ou açúcar nenhum? Biscoitinho? :)





Essa xícara é uma gracinha e encontrei por £4 na BHS. Já as colherinhas de prata (super oxidadas; preciso limpar) eu encontrei no fundo de uma caixa de papelão cheia de tralhas aqui em casa mesmo. Ah, as surpresas das "vidas passadas" do Respectivo. Nem ele sabe de onde são essas colheres. Excelente: assim não preciso devolver caso não pertençam à família. :)

Minha mãe pergunta ao telefone se Michael Jackson era brasileiro, "porque ele era preto". Eu não soube por onde começar e nem se deveria. E depois cerumanos SE ofendem e me xingam nos comentários quando digo que mamãe é master em formular perguntas genialmente imbecis. Nada mais que a verdade, minha gente. Além de uma qualidade a ser admirada. :)

Como vocês devem ter notado (ou não...) a lista de arquivos está crescendo. Estou, aos poucos, incluindo arquivos de blogs antigos aqui. Se alguém resolver linkar esse blog, não recomendo que usem o endereço do blogspot, já que ele provavelmente vai mudar quando eu terminar de organizar os arquivos. E, por falar neles, estou tendo que ler algumas coisas do passado que me fazem ter vontade de enfiar o dedo na goela e regurgitar o intestino. Vergonha. Não adianta tentar; eu não consigo escrever NADA meigo e poético. Se tentar, sai piegas, forçado, ridículo. Talvez porque seja falso; eu não sou uma pessoa sentimental. Daí a dificuldade de escrever cartões de aniversário, parabenizar ou consolar pessoas e manter um blog supostamente adulto.

Adoro essas fitas adesivas japonesas feitas de papel hashi. Viraram febre entre as blogueiras artesãs e eu, que piro fácil em qualquer artigo de papelaria diferente e colorido, também quero. (mais variedade na loja japonesa)

Arruine a dieta daquela sua amiga sofisticada e fashion victim: dê a ela cupcakes Chanel de presente! (a Maison não tem nada a ver com isso e nem deve ter gostado; afinal, moças que comem cupcakes não vão caber nos terninhos tamanho 0 da loja)

Essas fotos lindas de um autêntico mercadinho de velharias francês. Daria o dedo mindinho para estar lá e comprar esse jogo de porta mantimentos quadriculado vermelho e o boneco do elefante Babar.

Descubra por que vampiros não podem usar maquiagem (do ótimo See Mike Draw)

Esse comentário sobre um post no Fuck My Life. Triste mas verdadeiro.

Sabe aquelas padronagens na parte de dentro de envelopes contendo saldos bancários, contas de luz, etc, que a gente encontra e descarta sem nem olhar? Esse set no Flickr mostra como eles podem ser artísticos e lindos. (nunca mais vou olhar para um envelope comercial do mesmo jeito)

A voz aveludada de um Michael Jackson ainda adolescente cantando "Happy". Linda música, porém quase irônica ao ser interpretada por alguém que talvez nunca tenha sido verdadeiramente feliz. (será que eu já fui? talvez a gente nunca saiba ao certo)