Noa Noa

As fotos da coleção de verão da Noa Noa estão quase tão lindas quanto as roupas:












Quanto morei na Alemanha, num bairro meio "posh", havia uma loja da Noa Noa quase na esquina. Eu passava por lá quase todos os dias, quando ia à cidade, e babava alguns litros na vitrine. Roupas do jeito que eu gosto, cheias de rendas, babados, fitas, em tons pastéis e neutros, tudo muito rococó e over the top. :)

Pena que era tudo tão caro. Eu lembro que passei o inverno inteiro choramingando na vitrine por um casaco de veludo verde escuro. Parecia saído do armário de um príncipe dos contos dos irmãos Grimm. Infelizmente a etiqueta marcando DUZENTOS euros me fazia cair na realidade. Eu até tinha o dinheiro, mas tinha também outras prioridades. E pensava que aquele casaco lindo em mim ia ficar parecendo um saco jogado em cima de um sofá velho (baixa estima diz OI).

Enfim, suponho que uma das vantagens de se ter uma criança (talvez a única, haha) é poder usá-la para satisfazer nossos impulsos consumistas frustrados. Fazê-la de boneca e gastar todo o seu salário entupindo o guarda roupas da coitada de coisas adoráveis, daquelas que você vai morrer de pena de jogar fora, reciclar ou vender quando ela finalmente estiver grande demais para usá-las.












Ufa, ainda bem que não tenho nenhuma.
O limite do meu cartão de crédito agradece.