The Sock Ultimatum

Todo dia de manhã era a mesma coisa.
Respectivo tentando achar um par de meias, não encontrando o par de meias desejado e dando uma vociferadinha básica (que tem mais cara de frustração divertida do que de irritação genuína; eu já falei aqui o quanto Respectivo é ZEN? Se disse, repito). O diálogo é mais ou menos o mesmo:

Lolla: mas a gaveta de meias está CHEIA de meias!
Respectivo: sim, mas são meias de inverno.
Lolla: são o quê?!
Respectivo: meias de inverno. veja, o material delas é mais grosso.
Lolla: quero nem saber. vim de um país onde meia é meia, sem diferenciação sazonal.
Respectivo: ahá, pois TENTE usar uma meia de inverno dessas no calor de 40 graus do Rio de Janeiro! ONDE estão minhas meias de verão??
Lolla: I HAVE NO IDEA. E aqui NUNCA faz 40 graus! pode ir usando suas meias de inverno/outono/primavera e me deixe dormir!

Aham. Hoje, vesti a fantasia de Boa Esposa e fui tentar elucidar o Curioso Caso das Meias de Verão Desaparecidas. Comecei por retirar todas as meias de inverno da gaveta porque, já que estamos no VERÃO, seria mais prático guardar as de lã grossa numa caixa no armário do que deixá-las ali, ocupando espaço e confundindo a rotina matinal do Respectivo. Retiradas todas as meias de inverno da gaveta, adivinhem o que estava logo embaixo delas?

Isso aí mesmo. As meias de verão. Dois meses de encheção de saco que poderiam ter sido evitados se alguém tivesse se dignado a procurar. E nem teria sido preciso uma exploração arqueológica - era só ter enfiado o braço um pouquinho mais pro fundo. Suspirei. Pus as meias de verão na caixa destinada às de inverno e me dirigi ao topo da escada. Lá embaixo, na sala, Respectivo batucava alegremente no teclado do seu computador (eu já falei aqui que ele está trabalhando EM CASA? Mais sobre isso em breve - se eu sobreviver). Assobiei, ele olhou pra cima e eu anunciei: "EI, não era você quem estava procurando pela coleção primavera/verão de meias da lojinha de 0,99 da esquina? TOMA!"

Virei a caixa e aproximadamente 30 pares de meias (dobrados par a par cuidadosamente em forma de bolinhas) caíram na cabeça do folgado; uma delas foi parar dentro da xícara de chá.

Ah, as alegrias da vida doméstica... Pure bliss. Vocês conseguem entender essas meninas de 19 anos (cronológicos ou mentais) que dizem que "casamento é uma coisa ultrapassada e eu nunca vou querer um marido, BLÁ BLÁ BLÁ"? Eu não consigo - apesar de já ter tido 19 anos e dito precisamente a mesma coisa. Existe algo melhor do que ter alguém sempre a postos para que possamos torturar??

Se existir, não me contem. Quero manter a ilusão de que minha vida é fan-tás-ti-ca e que fazer guerra de bolinha de meia às nove da manhã vestindo pijamas é a melhor coisa que já inventaram depois de purê de batata instantâneo.

No comments

Os comentários são moderados para evitar spam. ♥