Love. And Peace.







(anjinhos de argila pintada numa lojinha de Hannover)


Sem tempo nem mesmo para explicar a razão do sumiço. Tenho aqui nos rascunhos do Blogger posts de Natal e de Ano Novo, que não tive tempo de finalizar e fotos que ainda estão na câmera. Ter meus pais aqui conosco é uma alegria, mas é preciso atendê-los e entretê-los. Some a isso o período de festas, a viagem para a Alemanha, as idas ao supermercado, as batalhas na cozinha antecedendo a comilança e receber amigos (temos um casal aqui em casa hoje, e eles já estão me olhando meio esquisito; afinal, o que eu estou fazendo tic-tac-tec-ando nesse laptop quando existe CERVEJA na geladeira?).

O site da Bachelor's Cup-a-Soup está fazendo uma pesquisa para descobrir quais são os maiores prazeres simples da vida dos consumidores. Entre as respostas, estão:

1. uma boa noite de sono;
2. encontrar uma nota perdida no bolso;
3. dormir abraçado;
4. rir até chorar;
5. ir para a cama com lençóis limpinhos e cheirosos;
6. encontrar uma barganha nas lojas;
7. fazer alguém sorrir;
8. sofá com um bom livro e uma xícara de chá (ou café, ou chocolate...);
9. acordar atrasado para o trabalho e descobrir que é sábado;
10. um estranho sorrindo e sendo educado;
11. olhar velhos álbuns de fotos;
12. comer a sua comida preferida;
13. a primeira neve do ano;
14. risada de bebê;
15. finalmente voltar a caber naquele par de jeans;
16. assistir a sua banda preferida ao vivo;
17. planejar a tão sonhada viagem de férias;
18. cheiro de grama recém cortada e de terra molhada;
19. receber uma carta gordinha de notícias pelo correio;
20. estourar plástico bolha.

Não sei se alguma (ou muitas, ou nenhuma) dessas coisas se aplicam a vocês, mas o que realmente importa - a sensação de felicidade simples, alcançável a todos, sem distinção de classe social, cor, idade, sexo, religião ou estilo de vida - é universal. E é essa sensação que eu gostaria de poder, hoje, encapsular e enviar de presente a todo mundo que contribuiu para fazer de 2009 um ano BOM. E que, apesar de imperfeito, foi compartilhado entre amigos, nos trouxe coisas lindas para ver e conhecer (e coisas ruins também, porque sem elas a gente não consegue apreciar as boas com a devida gratidão) e esperança para o Futuro. Que não é 2010, nem nenhum período delimitado no calendário; mas todo o tempo que ainda temos pela frente. Para mudar, aprender, evoluir, reconsiderar, perdoar (e sermos perdoados), escolher, descobrir, viver.

Quero aproveitar essas últimas horinhas antes de estourar a Veuve e dizer adeus a mais um ano e saudar o próximo, para agradecer a companhia de vocês. Sinto não ter podido me dedicar mais a esse pequeno espaço como gostaria, e ter sido tão assídua quanto quis nos espaços de vocês. Mas pretendo tentar de novo no ano que vem. Que tudo o que vocês me desejam seja recebido de volta em dobro - e servido com muita saúde, comida gostosa, amigos e muito Amor e Paz como acompanhamento. :)

Até daqui a pouco.

P.S.: Esse post foi um oferecimento de Kopparberg; desculpem mesmo o tom "mensagem de fim de ano do Programa Ana Maria Braga", mas não consegui pensar em nada mais elaborado ou irreverente ou sarcastic-chic pra dizer com os neurônios encharcados de cidra de pêra sueca. Desculpaê a vergonha alheia da amiga aqui e prometemos voltar mais inspirados no ano que vem. Or not. :)

No comments