Columbia Road flower market


Se estiver em Londres num domingo de manhã eu totalmente recomendo que você pegue um ônibus para o East End e peça para descer no Mercado de Flores de Columbia Road. Que é uma rua bastante peculiar, cheia de lojinhas coloridas com vitrines deliciosas - porém todas fechadas durante a semana, o que a deixa com um certo ar de cidade fantasma. A rua só acorda pra vida aos domingos. (ok, metade das lojas também abre aos sábados, mas você não quer perder tempo vendo coisas pela metade, quer?)



Não vou falar de todas, até porque fui desavisada e cheguei lá exatamente num sábado... Uma nova visita dominical se faz necessária, de preferência cedinho para evitar a multidão que certamente deve marcar presença (quem manda abrir só um dia por semana?).

Entre as que estavam com as portas abertas tem a Vintage Heaven, que é uma mistura de loja de cacarecos + louça de décadas passadas. Jogos de chá anos 70, panos de prato e toalhinhas de crochê dos tempos da sua avó, móveis, quadrinhos e, nos fundos da loja, um café chamado... Cakehole.



E, como "cakehole" é meu nome do meio, é claro que eu comi bolo. Rodeada de revistinhas de decoração para ler e de senhorinhas belas e simpáticas elogiando minha bolsa da Cath Kidston. Faz bem pra pele.



Tem a Ryantoon, loja do Robert Ryan que faz paper cuts a laser fantásticos. Fiquei sem graça de fotografar a arte do moço pelas paredes, mas essa menina foi mais cara de pau e tem mais alguns exemplos.



Também há almofadas, camisetas, canecas, quadrinhos e até fita adesiva com as ilustrações do cara. Baratinhos não são, mas ainda assim custam bem menos do que valem. ;)



As muitas lojas de jardinagem, que à primeira vista podem parecer desinteressantes ou simplesmente inúteis se você não tem um jardim em casa (ou talento para cultivá-lo). Mas não desista assim tão fácil, porque não é só de potes, pazinhas e adubos que elas são feitas.

















A Buddug é uma das lojas mais bonitinhas da rua inteira (e isso realmente é alguma coisa). A decoração é meio romântica/bicho-grilo/Alice in Wonderland/disney princess on drugs; e você ainda pode alugar o espaço para sessões fotográficas. Adentrar aquela porta é como se perder numa dimensão paralela e eu meio que fiquei esperando o Chapeleiro Louco sair de trás de um armário a qualquer instante.

As meninas Buddug Humphrey e Jessie Chorley fazem de tudo; peças decorativas, bijouterias esmaltadas, enfeites de cabelo em forma de pássaros gigantescos, velas perfumadas dentro de xícaras de chá vintage, colagens, diários e álbuns de fotos feitos de livros antigos reciclados, anéis feitos de relógios dos tempos em que tia Genoveva precisava mentir a idade pra entrar no cinema, enfim... Tudo muito louco e muito lindo.














Fiz poucas, porém preciosas comprinhas. Tão mais gostosa a sensação de ter coisas únicas e apoiar o trabalho de artistas independentes. Há quem chame isso de futilidade, mas é de ataques de futilidade assim que depende o sustento de tanta gente boa que podia estar roubando, matando ou enfiados num escritório cinza de 9 às 5 alimentando amarguras e varizes, mas está tentando criar uma coisa diferente, que talvez nem seja útil no sentido prático da palavra, mas sirva para enfeitar um cabelo ali, embelezar uma parede aqui, perfumar um ambiente acolá e, basicamente, deixar alguém mais feliz. Aos caros "anti-consumistas" de plantão que vez por outra graçam estas páginas: artista e dono de loja também precisa comer e pagar a conta da luz, viu? Se vocês não pretendem empregá-los ou assumir a conta do supermercado, alguém tem que fazê-lo. Reflitam. :)

E encerrei o dia com o risotinho "made in heaven" da promoção de almoço do Attilio, um restaurante siciliano (e não meramente italiano, como eles fazem questão de dizer) minúsculo enfiado num cantinho atrás da estação de Farringdon. Preço bom e tios simpáticos perguntando se a comida tá boa. :)


O ar meio "antiguinho" das fotos acima é um oferecimento do Analog Color, um programinha japonês que simula o efeito de filme antigo; traz inclusive a opção de adicionar a borda da polaroid ou vignette, ou até mesmo deixar um pouco de luz "danificar" o filme. Uma delícia. As opções são infinitas e dá pra se divertir e mudar a cara das suas fotografias; é pago, mas custa só dez dólares (quase o mesmo preço do CD piratão do photoshop no camelô ali da esquina, com a vantagem de que você não vai precisar aprender a lidar com o photoshop). O site é todo em japonês; cole o link no tradutor de página do Google e se jogue, meu querido leitor. :) Vale cada centavinho.

No comments

Os comentários são moderados para evitar spam. ♥