jardins de Rozel

É costume aqui na ilhazinha, por essa época e até o meio do verão, abrirem-se os jardins das manor houses (mansões tradicionais de famílias locais) ao público para fins de caridade. Paga-se uma pequena taxa pela entrada, dá-se algumas voltas pelos jardins imaculados, inveja-se fortemente o poder aquisitivo dos bem nascidos, bebe-se o obrigatório chá com bolinhos e sanduíches variados e, depois de algumas fotos e interação social com idosos e jovens famílias (o público alvo quase que exclusivo desse tipo de evento), todo mundo volta pra casa. Bem civilizado.

Há algumas semanas atrás foi a vez da Rozel manor (cada "bairro" tem a sua própria), tão perto que fomos andando. Os jardins não são tão grandes e a casa não é tão majestosa como outras que já vi, mas a capela medieval à beira do lago foi uma surpresa bastante agradável e as plantas foram muito bem escolhidas e posicionadas. E, nesse época do ano, o efeito é ainda surpreendente.



























Seguindo pela trilha das bluebells com os novos sapatinhos vermelhos indefectíveis.



Manor house.



É hora do chá; vai um bolinho, biscoitinho ou scone?



Babei nos morangões radioativos de tão vermelhos, pena que os cupcakes eram sem glúten.





Old windows, old money + minha singela compra: um pote de margaridas.




Difícil acreditar que tudo isso seja o jardim particular de alguém, não é? :)

No comments