Mori Girls

Uma das (muitas) coisas que eu considero interessantes no Japão é o fato de que, apesar de terem um radar impecável e serem ávidos consumidores de tendências estrangeiras, eles seguem respeitando e preservando a própria cultura. Não somente a milenar e mais tradicional, mas também as subculturas urbanas que se manifestam de diversas maneiras, entre elas a moda. Alguém já ouviu falar de Harajuku? Aquela área perto da estação de mesmo nome em Tóquio, lotada de jovens vestidos em diferentes estilos? Mais ou menos como Camden costumava ser; mas hoje em dia não é mais tão "cool" ser radicalmente alternativo na Inglaterra; e você ainda pode levar tabefes na escola se não gostarem da localização do seu piercing.

Mas em Tóquio o momento é todo dos teenagers esbanjando criatividade, customizando as próprias roupas, misturando o que lhes vier à cabeça sem se preocupar com "tendências" ou seguir padrões ditados por "manual de fashionista" algum. É claro que as fashion victims existem por lá também, nas mesmas quantidades industriais que entopem qualquer grande metrópole; mas o fato é que ninguém está muito interessado nelas. O que gera assunto e material para livros, websites, revistas e sacode estruturas são os loucos urbanos e a sua revigorante liberdade de auto expressão. Ainda que seja transformar um balde em chapéu ou sair pelas ruas usando bóias de braço da Hello Kitty. Adoro porque é espontâneo, verdadeiro e 100% japonês; o que a gente vê por lá, dificilmente vai encontrar em qualquer outro lugar do planeta.




Quer ver mais? Japanese Streets. :)

Entre as diversos "tribos" (ganguro, yamanba, hime girl, lolita, gothic lolita, bibinba, decora, sukeban, etc) minha preferida é a das Mori Girls. "Mori" significa floresta, então uma tradução mais ou menos adaptada para a situação seria "meninas que parecem viver numa floresta". Não, elas não são peludas e vivem em árvores; muito pelo contrário, são femininas, delicadas e eu as chamaria de "fadas urbanas". Elas adoram vestidos longos e vaporosos, muitas rendas, babados, bordados e nervuras, roupas vintage e com modelagem reminiscente de outras eras, patchwork, estampas florais ou xadrez vichy, chapéus, sobreposições, cores neutras ou tons outonais e intensos, tecidos orgânicos, lã, cashmere, cardigans gigantescos, botas, calças de linho, leggings, acessórios feitos à mão, bolsas de couro cru, pele ou tecido e muito couro e pele (nesse caso sempre falsos para se manter na linha ecológica, é claro).

Ou seja, tudo o que eu queria poder usar sem ser chamada de louca na rua.\o/


A natureza romântica das Mori Girls as diferencia do estilo mais agressivo das mulheres urbanas. Elas descartam o uniforme padrão da moda (sapatos de salto, roupas justas e de corte estruturado, bolsas de grife, excesso de maquiagem) e preferem sapatos rasteiros, unhas curtas e pele limpa. São delicadas, mas sem ser "cute". Têm interesse em objetos de outras épocas e que tenham uma história; acessórios vintage como relógios de bolso, óculos, lenços, chapéus, guarda sol, colares e câmeras de filme são considerados verdadeiros tesouros.




Embora a maioria das Mori girls habite grandes centros urbanos, sua alma está no campo. Procuram manter um ritmo de vida mais lento, preferindo saborear pequenos prazeres que muitos consideram insignificantes. Mori girls gostam de explorar cidades históricas e, quando viajam, procuram descobrir espaços fora da rota turística habitual, como pequenas livrarias, cafés escondidos e lojas de artesanato local. Gostam de expressar sua criatividade através de diversos meios (fotografia, pintura, desenho, diários, escultura, moda) mesmo que poucos apreciem sua arte e as suas idéias. Adoram a Escandinávia; detalhes característicos do design tradicional desses países frequentemente influenciam suas criações, modo de se vestir e a decoração do seu lar.










Da sua maneira tranquila e introspectiva, Mori girls prezam a individualidade. Não se importam em parecer diferentes, viver e se vestir da forma que escolheram, mesmo que sejam rotuladas como sonhadoras ou até mesmo estranhas. Não são consumistas, mas gostam de adquirir peças que as inspirem e não de acordo com o que proclama a moda ou o status econômico embutido no produto. Mesmo apreciando o valor da amizade, Mori Girls gostam da própria companhia; de fato, embarcaram sozinhas na maior parte das suas aventuras mais memoráveis.


Se a gente tirar a parte "sua alma está no campo" da história, é quase como se fosse o meu mapa astral, não? Me identifiquei. É claro que é mais difícil usar roupas assim no Brasil; primeiro por causa do calor, e depois porque o brasileiro costuma achar qualquer coisa que fuja ao padrão "jeans + camiseta + melissa/salto alto/tênis" coisa de gente maluca. Mas acho que, com um pouquinho de criatividade e alguma personalidade, é possível tentar adaptar aos trópicos, sim. :)

Mori girl eye candy? Oh Yeah Mori Girl e Mori Girls no Tumblr, o blog Mori Girl (meu favorito, sempre bem atualizado e de onde adaptei parte da descrição), In the Mori que não mostra apenas looks mas também lifestyle e uma comunidade no livejournal. Vale checar os blogs mesmo que não seja muito o seu estilo, porque as fotos são lindas e relaxam os olhos e alma nesse mar de saltos agulha, ombros pontudos, tachinhas, alça de corrente, cílios postiços e preto preto preto que domina a moda mundial (só de imaginar tudo isso junto depois de tanta leveza meu coraçãozinho se sentiu agredido, haha).

E aqui um vídeo fofo de uma banda com visual bem Mori chamada Noanowa. :)

No comments

Os comentários são moderados para evitar spam. ♥