what's in your bag?

Acho legal quem consegue fazer um "what's in your bag" todos os meses e sempre ter coisas diferentes lá dentro. No máximo, eu consigo trocar a bolsa e a capinha do iPhone. Eu nem gosto dessa bolsa estúpida aí embaixo, mas ela estava na mala quando fui para a França (uso para levar maquiagem e cremes) e, como eu ia carregar a câmera no pescoço, preferi usá-la por ser uma bolsa pequena - e aí eu não teria que lidar com dois trambolhos. Me sentindo meio ridícula, porque afinal isso aí não é uma bolsa, é praticamente um cupcake.



1. bolsa @ Camden Market, 2004

2. gloss Chanel, caneta de origem desconhecida, labello fruit shine, bonequinha da Bécassine lá de Dinan, Margarido Guineto (o gnomo viajante), boneca da moranguinho também de Dinan, chave da minha escrivaninha, que não deveria estar na bolsa.

3. régua verde (?) de origem desconhecida, telefone, pó compacto Chanel, porta moedas Accessorize, caixinha de balas de uma lojinha de souvenirs em Cancale, chaves de casa, carteira Vivienne Westwood.

4. luvas Warehouse, agenda coreana daTopshop, óculos H&M, caixinha dourada com bombom que ganhei no hotel, chicletes.

Não consigo sair de casa sem guarda chuvas (anos vivendo num país onde o tempo podia virar de repente; e não é diferente no país atual), mas esqueci de inclui-lo na foto. E o que não costuma faltar na sua bolsa?

Agora um close na latinha, que veio cheia de balas e eu vou usar para guardar meus analgésicos de estimação (hipocondria):



Os macarons de Dinan - os de salted caramel já haviam "esgotado"...



E a pequena Bécassine - devia ter comprado outras; elas são difíceis de achar. Não resisti a esse modelo com a mala, viajante e dedo em riste - talvez reclamando das condições do banheiro dos aviões da Easy Jet...



E antes que eu me esqueça, resultado final da minha tentativa de bordar os personagens de O Clube dos Cinco (esse título é idiota; The Breakfast Club no original). A parte de trás do bordado ficou uma zona, mas não me importei muito porque afinal era um quadro e a moldura esconderia a barafunda. Na próxima vez preciso me lembrar de usar um bastidor enquanto estiver bordando, para manter a tensão do tecido constante - dá para ver no quadrinho aí embaixo que o pano ficou meio franzido em algumas áreas. Enfim. ANOS que eu não bordava nada em ponto de cruz. Acho uma das técnicas de bordado mais bacanas, rápidas e fáceis de aprender. :) Próximo projeto é bordar a turma de A Garota de Rosa Shocking (outro título idiota, dessa vez para Pretty in Pink).


1 comment

  1. Tb tenho uma Bécassine, se não é igual a sua é parecida! :), tb tem uma lata de biscoitos q comprei em St Malo,tb queria ter comprado mais, são tão fofas!

    ReplyDelete

Os comentários são moderados para evitar spam. ♥