Marmita francesa

Voltamos de Paris no domingo. Dessa vez, como iríamos de Eurostar e não de avião, optamos por ficar em um hotel perto da Gare du Nord. A decisão foi lamentada: bêbados e pedintes na rua, lojas cafonas, nenhuma atração ou restaurante interessante nas proximidades... O lugar parecia o fim do mundo - mas com arquitetura Belle Époque.

Valeu a pena pelo fato de não termos precisado sair do hotel com antecedência para chegar à tempo na estação; cinco minutos de caminhada e estávamos lá. Mas da próxima vez eu voltarei a ficar no meu amado Marais ou em Saint Germain des Prés. Afinal, uma das vantagens da cidade é que, a cada dez passos, você cai dentro de uma estação de metrô que vai levá-lo para qualquer lugar. É verdade que o metrô parisiense, se comparado ao de Londres, parece uma lixeira sobre trilhos. Mas é eficiente, extenso, facílimo de navegar, barato, integrado à linha ferroviária e com um número grande de estações se levarmos em conta a área que ele cobre. Cumpre muito bem a função e por isso sou grata.

O hotel em si era OK. O quarto não era dos maiores, mas o ar condicionado foi uma benção no calor senegalês que fazia por lá e o wi-fi era gratuito e excelente - coisa rara até em hotéis muito mais caros. Fiz amizade com dois pombos que dormiam debaixo da minha janela; apelidei-os François e Clementine e os alimentei com farelos de pretzels (que eles não curtiram) e de macarons da Ladurée (que eles amaram; pombo mal acostumado é dose). O banheiro era grande e moderno. Na região havia um número grande de pessoas de origem africana. Se nativos da França ou imigrantes, não saberei - o fato notável é que, ao contrário de regiões com demografia parecida em Londres, todos falavam a língua local. Em Peckam (sul de Londres), por exemplo, igualmente povoado por africanos ou afro-caribenhos, a gente quase nunca ouve inglês. Nada a reclamar, apenas um detalhe observado.

O Eurostar fede no verão. Da última vez que usei os serviços do trem rápido era inverno e não senti os efeitos da temperatura elevada associada, talvez, à falta de banho das pessoas. Não sei se é diferente na primeira classe, mas logo o nariz se acostuma e a gente se distrai observando a paisagem correndo velozmente pela janela (com exceção dos 20 minutos em que passamos no túnel).

Foi uma visita rápida e não houve tempo para grandes turismos. Apenas alguns jantares, almoços, uma visita abortada a Versailles (as filas quilométricas e o calor nos fizeram desistir e pegar o trem de volta) e uma tentativa de compras na Galeria Lafayette - lotadíssima e caríssima, mesmo com a suposta liquidação. Considerei uma bolsinha Marc Jacobs mas, sinceramente, eu não preciso de mais uma bolsinha de grife. Minha modesta aquisição do fim de semana foi um trench coat na Benetton com 50% de desconto.

O que me surpreende sempre que visito Paris é a qualidade da comida: mediana, beirando ao medíocre. A impressão que tenho é que, se você não estiver disposto a pagar uma pequena fortuna, vai comer mal. A apresentação dos pratos, por exemplo. A comida chega à mesa de forma tão desleixada que é capaz de tirar a fome de um eritreu. A coisa é nível botequim pé sujo, mesmo - e pelo mesmo preço eu poderia comer no Ivy.



Essa "entrada" aí em cima (fatias de baguete duras feito pedras com um fiapo de presunto e queijo derretido por cima) eles chamavam de TARTE no menu. Isso, pra mim, é um sanduba que eu mesma faço na pressa em casa, no microondas, enquanto assisto a novela. Em Paris, me custou nove euros.



Essa salada chegou à mesa exatamente dessa forma. Havia molho espalhado por toda a extensão do pratinho cafona de boteco, inclusive na parte de baixo. A mesa ficou um nojo e Respectivo manchou a camisa. Oito euros.



Esse foi o prato principal. A tábua sobre a qual carne veio disposta estava suja. Mesma coisa para copos e a garrafa de água (veja a prova do crime - disgusting). As poucas fatias de carne eram tão finas que a gente podia ver através delas. Se não fosse essa batata - para crédito do cozinheiro, perfeitamente assada - eu teria saído do restaurante com fome. Mas nem mesmo em um shopping da Baixada Fluminense eu teria sido servida dessa maneira "informal". Valor: 17 euros.

Vamos comparar aqui brevemente com a qualidade e a apresentação destes pratos:





Ambos vieram do mesmo restaurante em Jersey (Bass & Lobster) onde se almoça por 12 libras com direito a entrada e prato principal. É, eu fiquei terrivelmente mal acostumada.

Eu nunca quis comer num bistrô caro em Paris (e por caro eu entendo um prato custando mais de 50 euros... Já comi pratos de 40 euros igualmente mal dispostos e pouco inspirados). Minha lógica é, porque eu pagaria o dobro ou mais do que pago em Londres? Pelo preço médio que se paga em Paris por uma refeição, seria perfeitamente possível demonstrar um mínimo de criatividade na hora de montar um menu (chega de crepe, salada de tomate, ovo com presunto e moules a la creme, peloamor) - e pelo menos arrumar a comida com decência no prato.

Tenho a humildade de reconhecer que posso estar indo aos lugares errados. Se você mora em Paris ou conhece bem a cidade e tem boas dicas a dar, por favor esteja à vontade. O fato é que já tentei diversas áreas, diversas faixas de preço, e quase sempre saio decepcionada; se não com a qualidade ou apresentação, pelo menos com a falta de inspiração da comida. A impressão que fica é de que a França se acomodou com a fama de "melhor cozinha do mundo", mas eu pelo menos sempre comi infinitamente melhor (e por muito menos) na Inglaterra e na Alemanha, países que não têm exatamente uma reputação mundial consolidada em termos de culinária.

Fomos também à Ladurée, como é de hábito (estou pensando seriamente em trocar pela Pierre Hermé). Dessa vez optei pela filial antiguinha, na Rue Royale. Achei a decoração caída, as mesas pequenas, as cadeiras *extremamente* desconfortáveis (fiquei com dor nas costas), a ganância por encher o salão significando mesas espremidas umas às outras (zero de privacidade e charme), o serviço lento e tudo isso pelo privilégio de pagar 18 euros num sanduíche. E ainda havia fila na porta! Pelo menos o meu religieuse de morango estava bom, apesar de um pouquinho ressecado.





Não consigo mais culpar quem visita a cidade luz e opta por subsistir da sagrada tríade McDonalds, Brioche Dorée e Starbucks - ou do potão de Cup Noodles comprado no supermercado e preparado no microondas do hostel. Na minha próxima visita vou comprar pão na boulangerie, frios na charcuterie, queijinhos na fromagerie, vinhos baratos e deliciosos no supermercado e fazer piquenique. Yummy.

A cuisine de terroir (que mais parece de TERROR) que me desculpe.

39 comments

  1. Olá,


    Eu achei seu blog por acaso e fiquei apaixonada. As imagens são lindas, adorei o seu jeito de escrever e me identifiquei com as críticas à sua casa alugada (embora acho que você choraria se visse o tamanico do lugar onde vou viver. rs)
    Favoritei e depois de terminar a arrumação das infinitas caixas da mudança, eu volto para ler todos os posts com calma.

    Um abraço. :)

    ReplyDelete
  2. Lolla,

    Fico tão feliz quando você publica um novo texto. Fiz essa viagem com você, através das suas palavras. Há um tempo assisti a um programa na TV em que um chefe de cozinha reclamava da qualidade da comida francesa, no geral. Uma pena. A impressão que dá de Paris é uma viagem cheia de filas...
    Bem, sei que as comidas inglesas que você andou apresentando por aqui parecem muito apetitosas.
    Um beijo e até +
    Roberta.

    ReplyDelete
  3. Caramba, ontem eu li esse post: http://www.chatadegalocha.com/2011/06/un-billet-pour-paris-sil-vous-plait/#more-8172 que é o contrário do seu hoje. haha Ela fala que as comidas são muito boas, mas não cita restaurantes. Quando vi a primeira foto do seu post, pensei que era num botecão no Rio. hahahah
    De qualquer maneira, tenho muita vontade de conhecer Paris. =)

    Bjo!

    ReplyDelete
  4. Bianca, obrigada! Não reclamei muito do tamanho da casa e gosto dela, apenas foquei nos pontos negativos no post porque queria comentar o que EU mudaria para que a casa ficasse melhor (pra mim, pelo menos). E tamanho não é documento; se bem decorado, qualquer lugar fica bonito e agradável. :) Boa sorte na arrumação!

    Roberta, eu evito as filas viajando na baixa temporada. Alta temporada é pra quem tem filhos e que só pode viajar quando eles estão de férias. Essa visita de agora aconteceu no verão porque a viagem foi a trabalho; do contrário eu jamais iria a Paris no meio de Junho. Da última vez fui quase no inverno mas ainda estava quentinho (apesar de meio chuvoso), sem muitas filas. Se bem que a) Paris é sempre muito popular e nunca vai estar vazia; só se for vazia de parisienses, que se mandam pros pays no verão e b) eu não costumo frequentar museus e lugares que geram filas imensas... exceção é Versailles, lindo demais pra não visitar sempre.

    Tath, Paris é linda e eu sou obrigada a recomendar. :) O post da Chata de Galocha não menciona restaurantes e onde ela diz que a comida é boa, estava fazendo justamente o que eu falei: piquenique! Eu já comi em lugares aceitáveis em Paris, mas a única refeição EXCEPCIONAL eu comi em Oradour, uma cidadezinha no meio do nada cuja única atração é uma cidade destruída pelos alemães na Segunda Guerra. Era um prato simples de ave e legumes, mas perfeito. E sim, clima boteco TOTAL numa cidade que se gaba de sofisticação culinária. Não registra. Beijos!

    ReplyDelete
  5. Olá Lolla!

    Estive em Paris em abril e ela já estava beemm cheia. Florida e cheia. A cidade é linda demais, mas tenho que concordar com você sobre a comida. Cara e ruim. Eles não tem a mesma noção de higiene que temos aqui, no Brasil. Ficamos com a tríade hôt dôg, côc'colá e crêrrrepe (como eles falam). Achei os quilos que tinha perdido e paguei caro por isso. Mááás, era minha super-romântica lua de mel e eu saí mais do que satisfeita, é claro. Não vejo a hora de retornar e comer mal por lá, risos...

    Versailles é realmente lindo. Não pude ver nada além dos jardins. Quando fomos, o castelo já estava fechado. O trem pifou - sim, pifou - e nós acabamos chegando tarde lá... Triste.

    Um beijão.

    Pri.

    ReplyDelete
  6. só uma pergunta: aquilo na foto da garrafa são orbs?

    agora falando sério, aqui no rio vou te contar tb... paga-se um absurdo numa comida meia-boca com lacraia viva na salada (not kidding), com arroz bagacento.

    na minha viagem, lugares que comi melhor: praga e amsterdam. a diferença é que são os dois inversos em termos de custos (praga é mega barato, amsterdam é caro pra cacete).

    paris nunca me encheu mesmo os meus olhos...

    sou mais o kilomania, viu?

    ReplyDelete
  7. Adoro seus textos que contam o que você anda fazendo! Pra mim, que praticamente nunca saí do Brasil, é uma forma de viajar junto!
    :)
    Beijo!!

    ReplyDelete
  8. Opa, post em boa hora (pelo menos pra mim hehe)!
    Vou em outubro. Se por um lado esse lance da comida é preocupante, por outro eu e marido queremos investir exatamente em lanches tipo piquenique! E vamos ficar em Saint Germain, êêê! Alugamos um apartamento e acho que vamos conseguir aproveitar bem o comércio local de alimentos. Tanto a se ver, andar, se encantar em Paris... não vamos sofrer tanto se não comermos nos bistrôs mais caros. Certo? ;)
    Mas me conta: algum lugar recomendado? E o que você diria sobre a temperatura por lá em outubro?
    Bjs,
    Letícia R.

    ReplyDelete
  9. Gaaaaaah!
    Tive que voltar pra falar daquele copo... n-o-j-o!
    Acho que vou carregar copos descartáveis na bolsa... eca!
    Mais bjs,
    Letícia R.

    ReplyDelete
  10. Nossa, não acredito que aqueles pratos de Paris sejam tão parecidos com os pratos da Lancheria do Parque aqui de Porto Alegre.
    Quando eu fui à Paris, acho que tive sorte de entrar em bons estabelecimentos.
    O revés veio em Londres, onde nem as famosas Fish and Chips tinham sabor de fish ou de chips, e sim de pano de prato.

    Agora garrada suja, copo sujo, PELO AMOR DO PAI, isso acho que nem na Etiópia.

    ReplyDelete
  11. nossa, maior pratinho de frôzinha das avós hein. tinha nenhum souvenir roubáv... aproveitável na mesinha junto com as torraditas na chapa com queijo?
    que coisa hein, tb to passada com o francesismo grajaú 1970 do lugar ejejej

    ReplyDelete
  12. nossa, o que eu mais lembro de paris era da comida! se bem que eu comi fora poucas vezes. mas essas vezes foram maravilhosas.

    ReplyDelete
  13. Acho Paris um destino hypado demais para o que realmente é. Sempre que vou acabo optando por comer no Chez Clemente e Bistro Romain, restaurantes de rede com menus fixos de entrada + prato principal + sobremesa e copo de vinho. Nada delicioso, mas da para encher o bucho de maneira medíocre. E viva o pique-nique: comprar vinho Chateauneuf du Pape por menos de 10 euros + baguetinha e salaminho nos Jardins de Luxemburgo.

    ReplyDelete
  14. Oi Lolla!!!
    Embora vc nunca me respondeu pois sempre escrevo para vc e nunca tive um retorno....Mas gosto muito do seu blog
    Sera que vc não poderia postar mais fotos desse hotel fiquei mega ccuriosa rsrsrs....grande beijo brasileiro
    Adriana.

    ReplyDelete
  15. tive colegas de trabalho qu moraram na França durante 5 anos, moravam no interior e trabalhavam em Paris, que diziam a mesma coisa! cheiro insuportavel do frances! Se vc decidiu mesmo optar por compra queijos (mil tipos!) e baguete com vinho... acertou! Eraa assim que eles almoçavam sempre!!

    ReplyDelete
  16. Da ultima vez que estive em Paris me alimentei de Croissants ordinaires, baguetes compradas na rua e lata de atum :D. Os baguetes eram recheados com a tampa da lata do atum :DD; mas vou te dizer, era o sanduba mais gostoso que já comi :D. Me hospedei num Hotel Brasfroi ( estacao Oberkampf, linha amarela, sentido Place D´Italie ). Fiquei lá pois o Albergue estava cheio, mas o preco era igual ao do albergue, fora que dava para ir a Notre Dame.
    O Hotel ficava á um pulinho do Gard Du Nord, e fui ate o extremo Nord para conhecer uma tal de loja chamada Tati que me disseram ser um desbunde com precos OTEMOSS. Vou te dizer, tambem me senti na Africa ( nada de preconceito, ste relatando o ambiente ) e a loja so tinha besteirinhas, parecia uma loja mega de 1 Euro, mas so com coisas ultra Kitsch.
    Bem, vai ai minha dica de Hotel :D,
    Sara ( Baden Württemberg )

    ReplyDelete
  17. Wow, marmita MESMO D8
    Cara e ruim, putz. As docerias e restaurantes maravilhosos de fotos que rodam o mundo, haha, devem valer mais que minha casa, e olha que ela é grande. 8<

    ReplyDelete
  18. Ai que fome que me deu. De verdade!

    Otimo post, adorei as fotos.

    ReplyDelete
  19. Tô aterrorizada =O
    Essa história do cheiro, já tinha ouvido falar, mas em relação aos coreanos, pela alimentação baseada em frutos do mar.
    Enfim, medo, muito medo desses lugares e serviços estranhos.
    Pelo menos a viagem foi à trabalho e você não investiu (financeiramente e em expectativas) na trip,né? Caso contrário acho que a frustração ia ser 1000 vezes pior!

    ReplyDelete
  20. ah, conheco mta gente que foi a Paris e comeu piqnic de supermercado, pq alem de ser mais barato é mais gostoso. rsss

    ReplyDelete
  21. olá Marie,
    de uma olhada no site http://www.conexaoparis.com.br/, lá tem dicas ótimas sobre Paris, acho que vai ajudar bastante! Boa sorte!

    ReplyDelete
  22. Lolla, mandei uma pergunta gigante pra ti no formspring a respeito de um acontecimento podre no supermercado e acontece que ele limita o número de perguntas, disse pra eu tentar depois... hehe.. Vou tentar mais tarde.. Um beijo!

    ReplyDelete
  23. Lolla! fiquei aliviada ao ler este post! quando fui para Paris eu tbm fiquei decepcionada com a comida (esperava mais da MELHOR COMIDA DO MUNDO!). Mas a unica coisa que cheguei a conclusão é que era a COMIDA MAIS CARA DO MUNDO, hehe. ;-)

    ReplyDelete
  24. Eu tenho pavor de Paris, porque nunca consegui encontrar a cidade que imaginei, principalmente no quesito comida - sei que ela existe, mas acho que preciso de uma mao amiga que me mostre. Pois, Lolla, Paris eh uma cidade muito turistica, tem uma topografia bem diferente de Londres, por exemplo. Em Londres, em qualquer bairro, eh possivel encontrar lugares decentes para comer. Mas se o turista hardcore fica soh nas muvucas turisticas, tem de apelar ao bom lanche ou fast food, ou aqueles pubs horrendos que se intitulam London pub, por exemplo, e servem chicken nuggets com batata frita e cobram 6 libras. Mas, a diferenca e, os fast foods daqui sao bem melhores e bem mais variados do que os de la, tem Leon (adoro), Wasabi, Pret-a-Manger, etc. Eu viajo com certa frequencia para a regiao de Languedoc-Roussillon, e sempre procuro os restaurantes menores, fora do centrinho, nas ruelas. Porque senao, meu bem, eh mesmo apelar para o MacDo, aminha pior refeicao em restaurante foi em Nimes, de me dar pesadelos. A Franca tem uma comida maravilhosa (ingredientes, coisa e tal, mas fica meio que restrita aos nativos e aqueles que podem pagar por refeicoes "Michellin starred"), mas deitaram-se na cama da fama e acham que nos, os visitantes, vamos comer qualquer pedaco de baguette dura e dizer "ulalala!", eh o que as vezes acontece quando o turismo toma conta. Ha-de se ter paciencia, e aguardar por dias melhores em Paris.
    Beijos,

    ReplyDelete
  25. porra lollinha, mas tu comeu mal pra caralho em paris mesmo. mas não liga, acontece muito. muitos restaurantes são apenas armadilha pra turista, mas comer bem e barato é possível sim! da próxima vez que vier comenta! te dou umas dicas. quando gastamos 40 euros por pessoa num menu com entrada+prato+sobremesa+vinho, é suuuuuuuuper caro, um luxo, tem que ser bom mesmo. e tem sempre os restaurantes que custam mais, mas que realmente valem a pena!
    lolla, não pense em trocar a ladurée pela pierre hermé não, troca logo!! macarons ladurée= duros e secos, macarons pierre hermé= derretem na boca! mas esqueça a sacolinha fofa, caixinha enfeitada e loja bonitinha. e os preços são mais altos tb! mas super vale a pena!! e pra tomar um chá, chocolate, wathever, tem sempre o angelina na rue du rivoli!!!
    beijos!!

    ps: fiquei com muito medo das torradinhas. hahahaha, horrorosas. foi no 18eme?

    ReplyDelete
  26. Oi Lolla, eu geralmente não comento mas curto muito o blog!
    Sobre Paris, minha solução não foi de gastronomia mas de sobrevivência, o que me salvou foram uns restaurantes de asiáticos (acho que de chineses) com um tipo de refeição onde você olha para as opções dispostas (no estilo restaurante por quilo brasileiro) atrás de um vidro e vai pedindo para a pessoa do restaurante montar o prato.
    Não é o ideal de uma experiência francesa... mas eu achava melhor que mc donalds e pelo menos podia comer arroz e mistura de legumes com frango, já que eu não aguento comer sanduíche e massa todos os dias.
    Não lembro o endereço de todos os restaurantes neste estilo, mas eu comi perto do hotel arcor da rue cambronne, na bd Garibaldi. (havia outros em outras ruas mas eu não guardei o nome)
    Eu também amei fazer piquenique com um monte de queijos e comidinhas do supermercado... na próxima vez vou pesquisar o site do conexão paris (que eu descobri só depois da viagem) antes de ir.
    E sobre comida cara... eu não me importo em pagar quando a contrapartida é boa, já pago bem caro para almoçar em São Paulo, aqui tá mais caro que Europa!
    bjs

    ReplyDelete
  27. Ai... esse post partiu meu coração.
    Acabei de voltar de Paris e a minha experiência foi o oposto do sua, Lolla. Aliás, já fui muitas vezes e sempre comi super bem lá. E olha que eu sou chata e não como fast food.
    Olha, eu costumo ter uma estratégia muito eficiente: observar e prestar atenção onde as pessoas francesas estão almoçando/jantando. Ali perto do Pompidou, por exemplo, é cheio de tourist-traps mas também tem muitos restaurantinhos bonitinhos onde vão os locais. A zona do Marais e St Germain então, nem se fala. Tem várias opções.
    Mas uma coisa é certa: comer bem e comer mal pode acontecer em qualquer lugar. Só que quando acontece em Paris, a decepção é sempre maior. :(

    ReplyDelete
  28. Acho que o problema com Paris é também como aconteceu na Bélgica e como deve acontecer em muitos lugares de Londres... Armadilha pega-turista é maioria e fica difícil pegar os apanhados à mão do que é que vale a pena. Tenho uns guias aqui que têm sido muito bons pra saber onde ir com mais recomendação, qdo estiver de mala pra Paris de novo me avisa que tento te passar umas dicas deles. E aí, quando vamos nos encontrar? =D

    ReplyDelete
  29. Oi,linda!
    q delícia essas comidas!
    amei o blog!
    beijinho!

    ReplyDelete
  30. Ai que delícia!
    Adorei o blog :D
    Já estou seguindo.
    Bjos, Jana

    coisicando.blogspot.com

    ReplyDelete
  31. Amei seu blog....

    Parabénsss!!!!

    Quando tiver um tempinho vou adorar uma visita..
    http://santinhadopauoco.wordpress.com

    Beijoss

    ReplyDelete
  32. Olá ameiiii seu blog as fotos tudoooo >.<

    beijos

    ReplyDelete
  33. fiquei pensando no lance dos idiomas que se ouvem pelas cidades, falados por pessoas de origem africana. pelo que sei, a presença francesa na áfrica foi muito mais forte na idéia de "civilizar", e pra isso o ensino da língua francesa foi muito presente durante a coloniação. a inglaterra tinha interesses claramente mais econômicos, sem se focar tanto no ensino do inglês (o que tá longe de significar que não houve uma intenção de levar uma 'civilização' pras colônias e de serem duas formas violentas de dominação). talvez isso explique um pouco, se esses imigrantes ou seus antecedentes escolheram essas cidades pela ligação que se construiu na época da colonização.

    ReplyDelete
  34. Realmente pelas fotos não parece nada apetitante. Com 8 euros realmente não encontrará comidas "bonitas" e boas em Paris. Não tenho a reclamar dos lugares onde eu comi,todos foram bons e nenhum caro. Tem um restaurante no 14 ème que se come bem e custa barato, se não me engano paguei uns 12 euros. Talvez vc não esteja tendo mesmo sorte :/ , mas não espere nada de pratos/menus a preço mais baixos, realmente não serão bons :( , não dá para comparar valores entre Paris e em Jersey,rs, é uma cidade muito turística e eles aproveitam.
    Verei alguns endereços e te passo, quem sabe vc testa, gosta e tira esta impressão ruim ? :)

    Esses pratos que vc postou realmente estão escandalosos de feios, mas creio que seja pelo preço pago.

    Beijocas

    ReplyDelete
  35. Lu - Puxa, se puder me dar umas dicas mesmo eu ficarei super agradecida, porque eu costumo sofrer por lá. Provável que eu não esteja dando sorte, mas eu já comi mal no interior, no norte, em Paris... O problema para mim é a repetição dos pratos, basicamente em todo lugar que você entra o menu é o mesmo. Já quanto ao preço, eu mencionei que também já comi em restaurantes bem caros e também não gostei; mas em compensação eu pago menos de oito euros por um tigelinha de cassoulet DIVINO num boteco da Rue du Rivoli, e ainda ganho uma pequena tacinha de vin rouge. Os oito euros foram pela salada de alface; a "carne com batata" custou dezessete euros, então não sei se podemos concluir que estou comendo mal só porque estou pagando pouco. É falta de sorte mesmo, ou então simplesmente não gosto de comida francesa. Acontece. :/ Jersey foi uma cidade *bastante* turística até os anos 70, quando começaram a proliferar vôos baratos pela Europa. Aí os ingleses preferiam ir pra Espanha onde é mais quente. :) Mas a comida lá dá um banho em Paris em termos de variedade, qualidade, apresentação e preço, isso é fato.

    Babi - faz sentido. :) Sem mencionar que em Londres existem muitos imigrantes cujos países de origem não faziam mesmo parte das ex-colônias (China, Brasil, Colômbia, Itália, Tailândia, etc), então eles não vão mesmo falar inglês como primeira língua.

    Lelei - quando você estiver por aqui e tiver tempo, querida. :) Tenho uns guias de Paris também, já fui a alguns dos recomendados e achei uó. Vai ver eu não curto comida francesa ou tive a "sorte" de escolher justamente os estabelecimentos que "bicharam" depois que entraram pata o guia. Nhé. :(

    Joana - puxa, ME MANDEM OS NOMES DOS RESTAURANTES, hahahaha. Porque está rolando um sério desencontro. Eu *sempre* fico pelo Marais ou St. Germain, só dessa vez queríamos ficar perto da Gare já que a viagem ia ser meio bate e volta. Eu tive poucas boas experiências em Paris, nenhuma cara, todas em restaurantes com cara de locais, mas NADA extraordinário, sabe? Acho que Jersey me deixou mal acostumada; e deixaria qualquer um, o padrão lá é alto porque são muitos restaurantes, os meses turísticos são poucos, a população local é pequena e a competição acirrada. Paris meio que se acomodou na fama, sabe que vai encher de turista o ano INTEIRO independente de clima e por isso abusam, como a Lu mencionou.

    Naomi - também já comi nesses orientais! Até gosto, mas é tão fácil comer chinese em Londres, em Jersey... Quando viajo gosto de variar. Os picnics são minha opção preferida, mas pra isso a gente depende de um tempo legal (comer no quarto do hotel é meio uó). Com tanta lojinha delícia de pão, queijos, frios e bolos, os restaurantes deviam honrar a tradição culinária. Mas enganar turistas com gororoba parece ser mais fácil. Uma pena. :(

    ReplyDelete
  36. Alê - sim, me dê dicas! vocês todas dizendo que sabem, mas ninguém mencionou nada. Vou avisar com 30 dias de antecedência da próxima vez. E vou trocar a Ladurée mesmo, aquele café foi decepcionante (prefiro a loja fofa em Versailles ou até mesmo as finíssimas aqui em Londres, a da Burlington Arcade parece uma caverna de ouro - a menos que já tenham mudado o decór). Não sei onde comi aquelas torradas, mas dava pra ir andando até a Gare du Nord - também, eu tava PEDINDO pra me dar mal, né? hahahaha. ;)

    Dani - concordamos nessa, e olha que você entende de comida. :) Os fast foods aqui são infinitamente melhores e mais variados, há comida para todos os gostos, pequenos cafés servindo home made food de qualidade, não posso reclamar. Quem diria que Londres viraria o paraíso dos foodies on a budget. Adoro Wasabi e as lojinhas de sushi tocadas por famílias japoneses lá no Soho, também. Tem um restaurante de comida caribenha em Stratford com um menu de almoço delicioso, quase de graça. Mas pior do que os tais London Pubs, só as "steak houses". :(

    ila - cara e ruim e sem graça. Mas espero mudar de impressão quando as amigas parisiennes me mandarem os links com os caminhos das pedras.

    Anônimo - obrigada pela dica, anotada!

    Tereza - é o que eu teria feito, mas precisava de um tempo bom - o que até fez, mas não tivemos tempo para ir ao supermercado, escolher as coisas, procurar um parque, etc. Foi bem rápido mesmo.

    Vênus - bem, investi na minha passagem somente (o trabalho era do respectivo, e o cliente só pagou a passagem dele, claro), mas das outras vezes em que lá estive não foi muito diferente. Dessa vez foi especialmente ruim, no entanto.

    ReplyDelete
  37. Lolla, Paris, como toda cidade absurdamente turística (se não for a mais turística do mundo) arrasa na comida pq sabem q podem fazer qualquer coisa. Mas, não se engane, dá pra comer MUITO bem com MUITO pouco por lá. Existem restôs com Formule a 15 ou 20 euros que são excepcionais. Quase caí pra trás com os preços que vc relatou dos pratos. Jamais pagaria isso. Morei lá meses e se quiser, posso te dar várias dicas de lugares de vários preços que são deliciosos. =)

    E acho díficil comparar com Jersey, pq qualquer cidade menor e menos turística tem comida melhor mais barata. Isso é fato. Em Londres também se come bastante mal com pouco dinheiro se não souber onde ir =/

    ReplyDelete
  38. Jana - então, peoples, não estou comparando Jersey com Paris em termos de turismo. Jersey é bem menor e recebe menos turistas, claro (apesar de ser tão ou mais bonita), mas o que estou querendo dizer é que a pessoa fica mal acostumada depois de viver seis anos num lugar com restaurantes muito bons a preços baratos. Claro que aceito as dicas, meu email está aí no blog. Estou dizendo que aceito as dicas de todos, mas ninguém até agora me mandou nada. :) Como eu também já disse, eu JÁ comi bem pagando pouco em Paris, pelo menos umas duas vezes. Já como bem pagando MUITO caro. Já comi mal pagando pouco ou muito. Mas nunca comi MUITO bem, sabe. Quero as dicas de vocês até para saber se esses restaurantes maravilhosos existem mesmo ou se, indo até lá para provar, eu vou continuar desapontada. Pode ser que o nosso gosto para comida seja diferente. "Em Londres também se come bastante mal com pouco dinheiro se não souber onde ir =/" Sim, em qualquer cidade. Mas as minhas tentativas randômicas em Londres quase sempre dão certo. Em Paris, quase nunca.

    Sara - super obrigada pela dica de hotel. :) E sobre a Tati, realmente é perda de tempo. Não há nada que se aproveite lá, é uma loja de 1,99 piorada. A Poundland dá de mil a zero.

    Anônimo - para os seus amigos que nem mesmo moravam na cidade o lanche de baguette devia ser mesmo a melhor opção. Trabalhando e viajando do interior, não dá pra bater perna procurando restaurante bom e barato na base da tentativa e erro. Eu não fico só na parte turística, mas mesmo nos lugares menos "batidos" a comida é ruim ou pouco inspirada. Já os supermercados são maravilhosos... Mas ainda prefiro os da Alemanha.

    Adriana - sempre me escreve? Não lembro de ter recebido nada... Escreve de novo?

    Karina - também acho over hyped. E os donos de estabelecimento sabem disso. O mesmo acontece em lugares turísticos no Rio. Na área de Piccadilly em Londres tem muita steak house picareta pra pegar turista (em especial alguns americanos que tendem a ser mais conservadores quanto a comida).

    Deborah - me passa o nome dos restaurantes! :)

    Beks - francesismo grajaú 70s, hahahaha. you're priceless, sistah.

    Amanda - Pano de prato? Me conta como é sabor de pano de prato? :) Pois é, copo sujo, garrafa suja... e prato da lancheria parque! Em Londres há muitas chip shops picaretas, também. Especialmente em áreas turísticas. Para te ser sincera, ainda não consegui comer um F&C bom aqui em Londres, mas já tenho boas indicações de lugares onde o prato é feito de maneira genuína. Agora, por causa da dieta, não posso comer. Quando puder, comerei e indicarei.

    Letícia - se o apartamento tiver cozinha, você vai se deliciar. Compre no supermercado e prepare coisas rápidas em casa. Tem muita comida pronta de BOA qualidade, também. Sem mencionar os vinhos, maravilhosos e baratíssimos. Se até lá alguma das meninas que se ofereceram para dar dicas aqui realmente o fizer, eu passo para você, ok? Posso recomendar pelo menos o café da Rue de Rivoli que serve a tal cassoulet maravilha.

    Ju R - orbs, HAHAHA, quem dera. Sujeira mesmo. Respingos de água suja que secaram por ali mesmo. Já estive em Amsterdam e acabei caindo num restaurante BEM ruim. Tomei um dos piores cafés da manhã da minha vida. Mas a ceia de natal no hotel foi delícia! Bom saber que Praga é bom e barato, estarei indo em breve. :) Kilomania = AMOOOOOOOR.

    ReplyDelete
  39. Lolla sem que o post é antigo, mas só agora te descobri, estou adorando o blog. E me achei nest post. Eu fui na minha lua de mel para Paris e quanto a comida achei o mesmo que vc. Apresentação péssima e o gosto sem graça. Um dia veio uma garrafa de água mineral aberta com grãozinhos depositados no fundo. Acho que estamos indo para os mesmos lugares errados :(
    Claro que os queijos, vinhos e lanches salvam a viagem.
    Agora só comi melhor justamente quando cheguei em Londres!

    ReplyDelete