Dancing at discos, eating cheese on toast

image

image

Depois de dias de desculpas esfarrapadas pra me deixar esperando o caminhão do brechó veio buscar as tralhas que vendemos. A maioria móveis do antigo escritório do Respectivo, mas também a nossa geladeira de Jersey, que estava ocupando espaço na garagem. No momento usamos uma pequena (geladeira em cima, freezer embaixo) que veio com a casa, já embutida nos armários da cozinha. Não é grande, mas serve bem para duas pessoas - até porque nós comemos pouco e nos últimos anos raramente cozinhamos em casa.

Lembro de quando a comprei, nove anos atrás, numa visita a Bristol com a van emprestada do amigo do Respectivo. Fomos com a cunhada, e graças à persuasão dela conseguimos a geladeira pela metade do preço porque era uma devolução de cliente que tinha recebido a cor errada. Ela também conseguiu que a loja nos vendesse um fogão que estava no mostruário. O vendedor tentou explicar que não era possível, mas ela fez o menino “subir para falar com gerente” umas cinco vezes (até se ofereceu pra subir ela mesma e falar com ele pessoalmente), até que o o cara deve ter perdido a paciência “VENDA PRA ELA, DÊ O FOGÃO PRA ELA, FAÇA QUALQUER COISA MAS TIRA ESSA MULHER DAQUI!”. Levamos o fogão por uma ninharia também. :)

A geladeira funcionou muito bem por vários anos, e era legal apertar um botão na porta e tirar água filtrada e geladinha, ou apertar outro botão e tirar gelo (em cubo ou moído, à escolha). Muito prática, mas o freezer vivia sempre vazio porque não costumamos congelar ou estocar comida. E apesar de a nossa cozinha aqui ser grande eu prefiro ter espaço para armazernar coisas do que uma geladeira enorme que vai ficar praticamente vazia.

Mas fiquei meio triste vendo a bicha indo embora, eu e esse meu apego bizarro a coisas. Tchau, Big Fridge, you’ve been a good girl. Espero que vá para uma casa legal e tenha muitos anos de vida servindo a uma família grande que precise de você, com crianças e adolescentes esfomeados abrindo suas portas de 5 em 5 minutos e uma mamãe cozinheira que te encha as prateleiras de tupperware cheios de sopinha e carne congelada e cerveja pro churrasco de domingo e bolos de aniversário. ♥



Prateleiras já tomadas por tralhas de natal desde o final de setembro. Acho terrível que tenham passado por cima do halloween, mas a Inglaterra nunca foi exatamente fã desse feriado - apesar de ele ter se originado aqui. Os americanos importaram e realmente subiram a parada de nível. Aqui, fora umas festinhas domésticas para crianças com copos de papel estampados com caveiras (Asda, 99 centavos o pacote com 10) e meia dúzia de jovens bêbados pela rua “fantasiados” de vampiros e “enfermeiras zumbi sexy”, well… Nada. Não há decoração na frente das casas, não há muitas abóboras esculpidas, tanto que eu desisti da minha pequena tradição (como costumava fazer em Jersey). Até porque, ao contrário de Jersey, aqui se eu puser um jack o'lantern na entrada de casa (e se não puser também) devem aparecer umas crianças batendo na porta pedindo doces - que eu não tenho e não daria se tivesse, ALL YOUR CAKE ARE BELONG TO US! (what?)

image

Três semanas desocupando espaço, colocando piso no sótão, arrumando lugar para coisas que estavam guardadas há anos em caixas cheias de aranhas mortas que estão sendo abertas aos poucos. Umas das coisas que achei foram as minhas agendas da adolescência. *insira risadas histéricas*

image

O sótão, agora funcional, já está recebendo tralhas (revistas, coleções, enfeites natalinos, lixos com carga emocional que ninguém consegue jogar fora, etc) e a mudança se tornando mais definitiva com cada bagulho que encontra a sua posição definitiva na minha vida.

image

Eu curto essas mini tigelas de cerâmica porque foram feitas pelo Respectivo na aulas de pottery, quando ele ainda era um pirralho loirinho de calças curtas.

image

image

image

image

Acho que ainda temos mais uma semana de trabalho pela frente.
Depois disso é iniciar o processo de empacotar o jardim, dar um up na temperatura do aquecedor, tirar as luvas da gaveta, trazer os cobertores para o sofá, pensar no que vou comer no Natal e, aos poucos, começar virar a página de 2014.

In Hipsterland

image

image

Oh Dalston, I love thee
And your artisanal bakeries, 3 quid for a cup of tea
Your yummy mummies pushing bugaboos
Slowly priced out of Shoreditch, occuping your streets
Black people on the tube silently mocking your hipsters
Hair dye, blue eyed, wearing Urban Outfitters
But the joke is on them, they can’t afford to remain

Crowding your bedsits is the new younghood
Gentrifying the shit out of this neighbourhood
Organic and sustainable, if you can afford to be charitable
Vegan, local and somewhat guilty-free
It’s so nice to live here, such diversity
Though we don’t really mix with the minorities
We’re all sharing this postcode, so we’re all family
Dalston, you've changed,
but the only thing not lost around here
Is the irony.

image

image

image

image

image

image

image

image

image

image

image

image

image

image

image

image

image

image

(Dalston, April 2014)

That was the week that was.

Essas semanas têm sido difíceis (ocupadíssimas, emocionais, sem foco…) e eu acabei esquecendo o TW3 - e pra ser sincera boa parte das muitas coisas que aconteceram não foram exatamente boas, nem dignas de registro em foto. Mas well, teve revista chegando e sempre terá uma xícara de chá quentinho.

image

image

Xícara essa que me custou cinco libras e eu passei meia hora em frente à prateleira tentando escolher UM modelo só entre as inúmeras opções de estampa, apavorada com o preço. A vendedora me perguntou DUAS vezes se eu “precisava de alguma ajuda”. Sério, a mulher estava começando a ficar assustada comigo; passei a mão nessa azul com detalhes florais e borboletais e me encaminhei ao caixa para pagar e deixar a moça mais tranquila. Por razões de esclarecimento: cinco libras não é muito dinheiro para se pagar numa xícara bonita e de boa qualidade aqui. Eu é que sou pão dura mesmo e mal acostumada pela Ikea e Wilkinson. ;)

Os biscoitos chineses (que eu não comi) no meu pratinho infantilóide (cortesia da DAISO de Harajuku):

image

TW: Cat Cruelty. ;)
Estava colocando as prateleiras na parede e resolvi de zuera pôr a gata em cima de uma delas. A bicha deu um escândalo de proporções operáticas, literalmente se esgoelou em soprano. Quando tirei de lá o coração da pobre tava disparado. Medo de altura ou claustrofobia? Meldels, QUE gato foi esse que eu trouxe pra casa?

image

image

Good mail day: Recebi a encomendinha da Sweet Supplies Store; comunicação nota 10 com mensagem personalizada para avisar que a encomenda havia sido empacotada (com direito a foto do conteúdo e do pacote pronto) e mensagem personalizada pra avisar que estava a caminho. Pacote chegou todo enfeitado com washis e carimbos, tudo *muito* bem embalado e com adesivos extras. ♥ Aprovadíssima, agora o problema é me segurar pra não comprar a loja toda.

image

image

O curioso é que o pacote veio de fora da EU, não foi marcado como presente, valor acima do limite de 15 libras e eu não fui taxada. Como nunca havia sido antes do episódio desagradável com a Parcel Force - o que me leva a crer que o problema são eles. :(

image

FazendoMerdinha.jpg
Prateleiras no lugar, falta arrumar os livros nos lugares certos e envernizar. E acho que vou pintar esse detalhe de “nuvens” na parede. Tô começando a achar meio over.

O problema é que as prateleiras não alinharam direito, já que os suportes fazem com que elas fiquem num ângulo relativamente inclinado em direção à parede. Tenho que resolver isso. Ou não. Decisions, decisions, decisions; eu só quero terminar logo e partir para o próximo DIY fail. :)

Enquanto tirava livros de caixas para arrumar na biblioteca me deparo com um pôster velho e embolorado trazendo uma reprodução de uma desenho do Picasso. Atrás dele estava colado esse papel, uma espécie de concessão de OBE (Order of the British Empire, uma honraria da Coroa Britânica) a uma Annie Amelia Marsh (que eu desconheço) assinada por George VI. Espero que seja fake, porque não saberei lidar - mas já tô emoldurando, por via das dúvidas. :)

image

E não existe nada mais bonitinho que uma mini garrafa de booze. ♥

image

image

E os 10 contos mais bem gastos da semana:

image

Infelizmente não tem todas as letras na quantidade suficiente; não posso escrever “Lolla” por exemplo porque tem um L só.

image

Tive que ser criativa. :)

image

image

The cold winds of change.

image

image

It’s coat weather again; finally!

image

image

image

image

image

image

image

Chegando naquele nível de misantropia/detachment onde simplesmente dizer “oi” para alguém soa como “bitch, you tryin too hard”, mas well, eu sou brasileira (pelo menos é o que meus documentos afirmam) e não desisto nunca de desistir de deletar esse blog. Keep calm and carry on blogging. :D

image

- Anime retrô da Pequena Sereia; em japonês e sem legenda, mas dane-se porque você já conhece a história e anime a gente assiste por causa do visual e da trilha sonora anyway: Parte 1 | Parte 2 | Parte 3 | Parte 4 | Parte 5 (e me julguem porque eu prefiro esse príncipe andrógino àquele marombado queixudo da Disney, bye). Se você quiser mesmo assistir anime com sotaque americano, well, tem uma versão lá no youtube também. Que eu nem vou linkar porque, argh.
- “When I’m feeling bogged down, I delete all social media apps that are contributing to me feeling ungrateful, jealous, or bugged. I take a break. I think we sometimes forget that it’s our choice what and how often we share. If we’re annoyed by Facebook, deactivate. If there’s a blogger who bugs, unfollow. If you’re feeling fake-busy by Instagram, delete it. If you’re sick of blogging, stop blogging.
 - Dicas para lidar com a inveja
- Bolos, bolos e mais bolos! Me parecem mais bonitos do que gostosos, mas hell, they’re colorful!
- 12 erros gramaticais (em inglês) que mesmo pessoas inteligentes cometem (eu não teria errado nenhum desses - talvez porque eu seja burra? hehe)
- Continuo obcecada com micro casas, e essa aqui não está me ajudando a largar o vício. Adoro os tons neutros + o sofá verde + o fato que a cozinha é quase um detalhe. :) Quem sabe com essa inspiração eu consiga fazer o meu sofá azul funcionar?
- E se os modelos dos catálogos da JCrew estivessem tudo bêbo?
- A beleza da câmera lenta no cinema.
- Perdendo a fé na humanidade? Toma. ♥
- Hey, classe média, HERE’S LOOKING AT YA. :)
- O teste do Jason Momoa para o papel de Khal Drogo; eu teria contratado mesmo, e vcs?
- Eu quero fazer esse bolo e ficar olhando pra esse bolo quase mais do que eu quero comer esse bolo. Próximo day off? Yeah!
- Série de fotos feitas por um fotógrafo estrangeiro no Edifício Copan, SP. E que me deixam estranhamente nostálgica e melancólica.
- Pingentes de flores secas. Que coisa linda. :)
- Mais fofura made in Etsy. ♥ Meus favoritos: esse e esse.

E isso, senhores, está há uma semana estacionado na frente da minha casa:

image

Sim, é uma caçamba de lixo. Outra. Bem maior do que a primeira, e que vai receber uma boa parte das tralhas inúteis, caixas vazias e demais desnecessidades que estavam se acumulando aqui desde a mudança. Isso mesmo, um ano e meio atrás. ARRE. Sai que essa casa não te pertence, lixo. Por enquanto a casa INTEIRA está numa vibe “catástrofe natural” (insira inúmeras Nanas Gouveias photoshopadas na minha sala, please), mas tenho fé de que até o Natal terei andado umas dez casas nesse joguinho e o cafofo estará mais light, clean e com espaços melhor aproveitados do que antes. Eu disse que não desistia nunca, né? ;)