The Year in Pictures

É, a retrospectiva 2014 no Instagram não foi das mais abrangentes.Talvez porque o ano não tenha sido dos melhores; só uma teoria.

Percebi que deixei muita coisa de fora (viagens, consumismos, comilanças, sóis se pondo, peripécias felinas, etc) por perfeccionismo tolo, e uma das resoluções para 2015 é ser menos pedante. Deixo de registrar aqui e lá por achar que as imagens não ficaram boas. E embora eu prefira não divulgar certos acontecimentos (sabe como é, os abutres) e que eu seja mesmo um pouco seletiva com as fotos (curto ter um stream/blog bonitinho, que as pessoas tenham algum prazer em acompanhar) não quero me esquecer de que a idéia principal é me divertir e registrar o passar dos dias em square format. :)

(Por outro lado, em 2014 deletei quase todos os meus selfies do Instagram. Decidi que definitivamente não é o meu forte, não é a minha praia, eu não me sinto confortável e não preciso me obrigar a isso só porque todo mundo faz. Ok? ok!)

Enfim, o que teve (e foi pro Instagram):

JANEIRO
Ano novo, planner novo.
Meu romance com a Filofax durou bastante, mas optei por um Hobonichi para 2014; preferi ter mais espaço para escrever, desenhar e colar minhas tralhas (também considerando me jogar no Project Life, porque eu não aprendo, risos). Mas não descarto a hipótese futura de voltar para a Filofax num outro set-up, porque agenda estilo fichário definitivamente é melhor.

image

Meu aniversário. ♥ Melhor bolinho da Marks & Spencer com meu Sonny Angel de topping.

image

FEVEREIRO
Window shopping em York

image

MARÇO
Andanças. Desbravei vários cantos da cidade em 2014, mais do que em 2013 e me diverti/aprendi bastante no processo. De quebra serviu como exercício; os dez mil passos diários registrados no meu Pacer me transformaram de pessoa “sedentária absoluta” em “pessoa ativa”. Yay. Quase uma Pugliesi (#SoFaltaABarrigaNegativa #HajaWhey).

image

image

ABRIL
Café. :) Também foi o mês em que fui para a Alemanha e Bruges (Part One and Two), e me surpreendi por não ter postado lá *nenhuma* foto dessas viagens. :/

image

MAIO
Primavera.

image

Jersey, para matar saudades por alguns poucos (mas intensos) dias. Incluindo sessões de fotos com uma modelo mirim especial. :)

image

Churrasco.

image

JUNHO
Copa (teve sim; cês reclamaram e valeu por duas).

image

JULHO
Verão na cidade.

image

AGOSTO
Casamentos (e festinhas na Ikea!)

image

SETEMBRO
Piqueniques. :) E revoluções domésticas (esse quarto já está totalmente diferente, haha, whatever).

image

OUTUBRO
Outono. E folias gastronômicas em Chinatown.

Beautiful Leeds. ♥

image

NOVEMBRO
Veranico.

image

Minha biblioteca, finally. :)

image

Itália. ♥

image

image

DEZEMBRO
Natal.

image

image

Enfim, 2014 não foi um dos melhores anos na minha história recente e vai deixando um gostinho de anti-clímax. Não foi melhor ou mais marcante do que 2013, nem particularmente agitado; colecionei frustrações, fracassos e decepções e tive que me questionar profundamente sobre diversas coisas que eu já tinha aceitado como satisfatórias. Por outro lado me joguei nas oportunidades que apareceram de realizar coisas das quais eu não me imaginava capaz. E well, surprise: eu fui. \o/

Também fortaleci laços com pessoas importantes, muitas vezes depois de me decepcionar profundamente com elas. É quando o carro atola na lama que a gente descobre a força da tração nas quatro rodas. :) 2014 cimentou a impressão que eu sempre tive de que 90% das minhas melhores amizades são meio “disfuncionais” e é exatamente por isso que elas “funcionam”; gente muito bem ajustada costuma operar numa frequência diferente da minha, o que nem sempre dá liga. Acho que prefiro me arranhar nas arestas pontiagudas da personalidade de uma meia dúzia de loucos a rolar eternamente na ausência de atrito ao lado de 300 pesos mortos que não me provocam, não me acrescentam e nem fazem, de verdade, questão da minha presença. Para muitos desses acho que 2014 foi o fim da linha; não vamos nos sentir a falta.

Foi um ano de DR interna em que eu discuti em silêncio a minha relação comigo mesma, nem sempre chegando a conclusões muito agradáveis. Mas foi uma “chamada no cantinho” que precisava acontecer, e mesmo que não tenham tido resultado imediato eu espero, no futuro, me lembrar dessas conversas como o começo de uma revolução.

Manda ver, Fifteen.
Um melhor Ano Novo para todos nós, e muito obrigada pela companhia. :)

No comments

Os comentários são moderados para evitar spam. ♥