Here we play

image

Mudei muita coisa no meu “estúdio” desde a última vez que postei fotos aqui no blog. E desde então já mudei tudo de novo porque esse quarto é escuro demais e acabei voltando com tudo para o quarto da frente.

image

image

image

image

image

image

image

image

image

image

image

Acho que vou precisar me cadastrar numa “car boot sale” (uma espécie de feirinha de usados onde o povo abre o porta-malas do carro para expôr os produtos) para me ajudar a desfazer de tanta tralha. Se é que o apego emocional vai deixar. ;)

Summer Blooms

Esse blog está mais abandonado que Carrie Bradshaw no altar, depois que Mr. Big teve um ataque de piriri emocional na hora do casamento. Eu ponho a culpa na ascensão do Instagram e no Snapchat; já notaram que quanto mais aplicativos para compartilhamento (odeio essa palavra) de fotos aparecem, menor a frequência com que os blogs são atualizados? Com exceção das pessoas que ganham para blogar numa plataforma mais convencional *E* contam com equipe para ajudá-los na tarefa. É que fica difícil ficar tirando diversas fotos da mesma coisa - uma pro Instagram com o celular, outra pro Snapchat com o celular (porque o snap não deixa você aproveitar a mesma foto que já fez pro insta…), uma terceira com a câmera para o blog - e, bem, VIVER o momento a fim de TER o que blogar. Ou você prioriza o blog ou ele vai acabar sendo negligenciado. Vale o mesmo para a vida.

Por exemplo, esses dias percebi que deixei de registrar em fotos vários mini acontecimentos porque estava FILMANDO pro Snapchat. Me senti meio idiota, até porque os vídeos do Snap somem em 24 horas e agora eu não tenho NADA NADA NADA pra me lembrar desses momentos. Não que fossem terrivelmente importantes, mas agora estão para todo o sempre relegados ao éter, ao buraco negro da volubilidade da Grande Rede, esse monstro engolidor de novidades ultra-fresquinhas.

(E pra quem quiser se seguir por lá, meu Instagram e Snapchat: hellololla)



Quem eu *quase* joguei no lixo por achar que estava mortinho da silva em janeiro? Behold that death, mothafucka. 😄



Cantinho da bagunça. :)



Minhas dálias da loja de 99 centavos, comprei os bulbos e plantei num pote tentando evitar a sanha esfomeada das lesmas. Acho que deu certo…



…em parte. Se não foram as lesmas que começaram a comer as dálias pompom cor de rosa, foram as formigas. Essa aqui abriu, mas teve as pontas carcomidas quando ainda era botão por algum bichinho e por isso está meio desengonçada ao invés de perfeitamente redonda feito um pompom. Me vi obrigada a usar agrotóxicos anti-lesmas nelas. :(



Uma dália simples, também visualmente prejudicada. Mas essa cor. ♥





As pequenas “patio roses” florescendo pelo segundo ano. Isso me deixa feliz e apavorada ao mesmo tempo; 2014 passou voando e 2015 está indo pelo mesmo caminho. O.o





Olha só o tamanho dessa beleza. Segundo ano consecutivo também. :)



Já essa beleza aqui floresce há 15 anos, e acabou de arrumar um vaso preferido onde “se plantar”. :)

[7 on 7] Music

E nesse dia meio triste onde os atentados terroristas de 7/7 em Londres completam 10 anos, eis que um outro 7/7 surge no horizonte, dessa vez motivo de alegria. Yup, you heard right! Agora não somos apenas seis, somos SETE pares de olhos vendo o mundo. :) Dêem as boas vindas à Ana Paula (Austrália) e Loma (Coréia do Sul). ♥

O tema desse mês é música e eu confesso o meu fangirling por britpop/bandas inglesas desde que me dei conta de que música existia - hello The Smiths, Pink Floyd, David Bowie, Queen, Led Zeppelin, Fleetwood Mac, Kate Bush, Joy Division, The Who, Pet Shop Boys, The Cure, Radiohead, Siouxsie, Black Sabbath, Muse, New Order, The Jam, Madness, Depeche Mode, Pulp… Qual é o limite de caracteres aqui? ;)

Mas não é só nos grandes estúdios e festivais que rola música de qualidade e, sendo essa Babel incrível, Londres tem muito a oferecer em se tratando de fusões com outras culturas. Um passeio pelo South Bank e você tem bandas africanas, latinas, peruanas, francesas, brasileiras, etc. se apresentando em cada esquina. E nas tardes e noites de sexta/sábado a sua “pré-party” já começa dentro das estações de metrô, onde músicos se instalam com seus intrumentos nos corredores entre as plataformas e bicha, tem de tudo: jazz, rock, funk (o tradicional, não o carioca, heh), pop, ópera, música clássica, R&B…

Infelizmente não tive tempo de procurar os buskers do metrô (nem sempre dá pra saber onde eles vão estar, embora as estações do west end nos fins de semana sejam quase uma certeza) mas trouxe aqui uma pequena seleção de gente que ajuda a fazer a trilha sonora das ruas. :)

image

image

image

image

image

image

image

01. Carnaval de Notting Hill, Londres
02. Hightown Crows, Broadway Market, Londres
03. Banda tradicional de Morris dancers no Sweeps Festival de Rochester, Kent
04. Banda marcial infantil numa parada em Waltham Abbey, Essex
05. Street buskers em Brighton, Sussex
06. Músico nigeriano em Brixton, Londres
07. The Cure no Festival de Reading, Berkshire

Outras melodias: Taís (Irlanda) - Paula (Holanda) - Alê (Ucrânia) - Sarah (Noruega) - Loma (Coreia do Sul) - Ana Paula (Austrália)