October.













Outubro acabou e foi lindo. Foi duca. Foi o melhor mês do ano até agora (mas com um 2016 péssimo feito esse convenhamos que a disputa não foi árdua) e esse tem sido o outono mais bonito que eu já vi por essas bandas desde que vim estabelecer moradia em 2005. A natureza está literalmente enlouquecida, numa trip lisérgico-fluorescente com um céu azul digno de Cezanne como background. Pelo chão as piscinas de folhas amarelinhas/laranjas/vermelhas de maple são um convite diário a fazer a louca do outono e sair pulando/chutando/jogando pro alto. Tá sendo difícil puxar o freio de mão e não sair fotografando toda e qualquer folha amarela pelo caminho. Na verdade tá sendo impossível mesmo e tenho duas pastas com umas 400 fotos cada uma e je ne regrette rien. Vejo a chuva de folhas se intensificando, as árvores cada vez mais peladas e aí vem o desespero, machucando o coração e quero dar um STOP! HAMMER TIME! no tempo e congelar toda essa beleza efêmera para sempre.

Aí me lembro que tenho uma câmera e já fiz isso. Yahey.

Tenho feitos muitos passeios por aí a fim de registrar ou apenas admirar a paisagem (às vezes vista bem lá do alto). Muitas vizinhanças e villages novas, muitas portinhas coloridas, muita inveja de quem tem alguns milhões no banco pra poder morar por trás delas. Muita comida. Mas MUITA comida MESMO. Eu tenho feito pouca coisa nos fins de semana além de bater perna pela cidade e comer em lugares bacanas (especialmente os que servem dorgas, manolo: açúcar e farinha refinada, meus pós de escolha) e isso deu um up considerável no meu mood. DORGAS, TÔ DENTRO. ♥ Muito halloween também. Meu primeiro ano "dando doce" e percebendo que a) as crianças são umas graças, mas a empolgação aqui realmente é vibe quarta feira de cinzas se comparada à Clintonlândia/Trumplândia e b) doce de halloween é um fracasso: chocolate, balinhas Haribo e uns pirulitos anêmicos. Foi pra isso que essa gente assistiu tutorial de makeup de calavera e deixou metade do salário do mês na loja de fantasia? Achei podrinho. Doce de Cosme e Damião ganha de lavada. Muitas saudades de quebrar o dente mordendo um Zorro, daquelas cocadas 100% açúcar, do Batom genérico, velho e esbranquiçado, daquele doce de abóbora em forma de coração que eu levei anos pra aprender a gostar e das banananas MEU DEUS AS BANANADAS

Ok, parei. Meu pico glicêmico foi lá no Everest via Aconcágua só de escrever esse parágrafo. Voltemos à programação pseudo-paleo normal, sim?
(sim. até sábado que vem. teehee.)

Outros outubros: Alê (Ucrânia) | Ana (Alemanha) | Paula (Holanda) | Taís (Irlanda)

No comments