The kitchen list.

- a caneca preferida para beber:



não sei se é a preferida (eu tenho TANTA caneca que fazer concurso de beleza entre elas é pior do que ser jurado do miss mundo), mas essa é legal porque a alça é bem ergonômica (nada pior do que tentar segurar caneca de alça curta e mal localizada), o tamanho é grande (você não precisa encher até a boca e assim evita sair derramando líquido por aí) sem ser gigantesca (pesada pra segurar e o café/chá vai esfriar logo), o design redondinho é fofo e a cor/estampa me agradam. ou seja, praticamente a caneca perfeita. mas eu tenho outras na mesma vibe (ok, eu devo ter dezenas na mesma vibe).

- a tigela mais bonita.



acho que hoje o título fica com esse little number da tiger (nunca vou chamar de "flying tiger", pode esquecer) que tem essa linda coloração degradê (combina com um cake stand da mesma loja que eu também tenho), design "lapidado" e é grande o suficiente pra encher de pipoca. pelo menos umas duas vezes. ou três. ok, não é nada especial/vintage, but i like it.

- a tigela preferida para comer.



sem dúvida this baby blue. não parece, mas ela é bem grande e o receptáculo perfeito pros meus famosos "saladões" (abrir cinco latas de legumes/leguminosas diferentes, jogar tudo dentro da tigela, temperar com molho inglês e entupir de maionese light - EAT YOUR HEART, MASTER CHEF). ela é de uso pessoalíssimo, até porque nas únicas vezes que tentei servir algo dentro dela para terceiros a pessoa ficou olhando o fundo meio desconfiada, pensando que os detalhes pretos na cerâmica eram sujeira. i hate people.

- o que tem nas prateleiras que você mal consegue alcançar.



coisas que eu não uso com frequência, como... livros de receitas, haha. mas devo dizer que esse "apples for jam" da tessa kiros é amor puro. se encontrarem por aí comprem, porque parece que a gente achou os caderninhos de receitas de uma tia que aproveita para contar causos da infância, postar fotos e artes das crianças e dar pitacos variados sobre a vida.



eu guardos os meus "chás especiais" nessa casinha de porcelana que achei num brechó em bakewell. a caneca de vaquinha está quebrada, mas não tive coragem de jogar fora. o livro de receitas cariocas me irritou um pouco, não pelas receitas em si mas pela prosa da autora. engraçado como a gente pode gostar tanto da "voz" de uma pessoa e desgostar de outra, sendo que isso talvez não represente a personalidade delas.



a caneca à esquerda é outra quebradinha ex-favorita que eu também não consegui jogar fora (seria essa prateleira alta o "céu das canecas do bem"?), a lata da greengate estava cheia de biscoitos vencidos há pelo menos 5 anos (joguei fora, não comi nenhum, juro), os livros denunciam uma obsessão e o mini bule na verdade é um mini vasinho de plantas que comprei na daiso de tóquio e vai migrar pra varanda quando estiver cheio de suculentas.

- item preferido na cozinha.



pensei em citar a geladeira, mas resolvi pagar de fina. essa pintura da galinha e seus pintinhos é muito querida pra mim; surrupiei do escritório do respectivo quando ele estava mudando de endereço e não lembrei de perguntar de quem era. ocorre que o quadro pertencia ao sócio desonesto que na época não sabíamos ser desonesto - ladrão que rouba ladrão, etc. de todos os epítetos que colecionei pela vida só me faltava o de "ladrão de galinhas". agora não falta mais.



outro item querido é o radinho retrô que veio do ebay por uma ninharia, certamente muito menos do que o original teria custado. nele eu ouço uns programinhas de vez em quando, porém como eu não cozinho não passo tempo o suficiente por ali para usá-lo com mais frequência. quando eu voltar a ter um forno decente ele vai me fazer companhia enquanto espero o bolo dourar.

- a maior coleção.



canecas, claro. da última vez que contei eram pouco mais de oitenta. nem quero saber quantas tenho agora. eu sei, é uma obsessão e eu tenho que fazer algo a respeito antes que acabe me afogando em porcelana (e cerâmica, e vidro, e esmaltado, etc), mas é tão difícil resistir quando ao lado da sua casa tem filiais da tkmaxx, home sense, wilko, tiger, the range, bm bargains, home bargains, poundland... essas duas são da cath kidston.
- como você faz o seu café?



resposta: sem o menor glamour. LOOK AWAY HIPSTERS, mas aqui não tem máquina de café custando várias centenas de dinheiros; tem um vidro de café solúvel (descafeinado à noite ou durante quatro dias no mês), uma chaleira elétrica (queridinha da mamãe) e o meu adoçante "importado" (risos). pode não parecer muito, mas é rápido, não suja nada e é melhor do que o café do starbucks - mas até aí morreu o neves, porque água morna é melhor do que o café do starbucks.

- como são os seus pratos?



em uma palavra: chatos, infantilóides ou antigos. ok, três palavras... enfim, eu estou tentando melhorar como ser humano/dona de casa e me livrar aos poucos dos pratos sem graça ou com cara de enxoval de bebê e substituí-los por peças mais interessantes que vou colecionando pelos brechós. o prato de borda verde é um exemplo. o azul floral está na categoria "boring" e o de corações firmemente na categoria "quantos anos você tem, mesmo?" (há espécimens piores, nem vou mostrar os da hello kitty).

- o que tem na sua geladeira?



não muito. a geladeira é pequena (daquelas que são metade freezer) e nós não mantemos muita comida em casa. isso leva a duas coisas terríveis: desperdício ou comilança. e como você pode ver pelos dois vidrinhos de amostras de geléia tiptree que eu tenho na geladeira (e que estão à espera de serem completamente esvaziados) eu não curto desperdício. comilança curtimos sim, trabalhamos sim, ô, como não, quem nunca, etc. mas não faz bem pra cintura e eu não estou a fim de reformar meu guarda roupa inteiro com peças três tamanhos maiores só porque perdi a linha na seção de carboidratos do supermercado, so there. prateleira de geladeira vazia é garantia de conta bancária e coronárias saudáveis. pode também ser garantia de tristeza profunda, mas enquanto houver vídeos de gatinhos no youtube há esperança.





- o que tem na sua despensa?



novamente, pouca coisa. sim, a gente faz compras no sainsbury's (o que é o poder de um cartão de fidelidade, não é mesmo, minha gente?) sim, eu gosto muito de molho de soja. sim, eu gosto muito de sal (e o sal SAXA não foi alfabetizado em inglês #entendedores). sim, eu consumo bastante atum em lata. até porque isso me lembra da infância, onde essa porcaria custava os olhos da cara e eu tinha que choramingar pra mãe comprar no supermercado aquela mísera latinha que, se eu tivesse sorte, ia saborear com palmito e azeitona. lembro também que na cesta de natal que meu pai ganhava da firma tinha sempre uma lata de atum de boa qualidade e que eu comia sozinha com maionese (nigella, miga, anota essa dica). agora me vingo dos anos de penúria esbanjando esse FOUR PACK dentro do carrinho me sentindo a filha do sultão de brunei dentro da tiffanys (cada um tem a ostentação que merece e pode pagar né).



isso aí tecnicamente não é "despensa", mas eu uso um bocado esse rack de temperinhos. meus saladões enlatados não seriam n a d a sem páprika, ervas, sal de cebola, grânulos de alho, pimenta branca, caldo knorr e afins.

bônus: uma coisa bonitinha que achei na geladeira:



e uma DESGRAÇA que achei na despensa: QUEM TROUXE ESSE VENENO PRA DENTRO DA MINHA CASA VAI PAGAR



nunca queiram enfiar uma colherada de marmite na boca pensando ser nutella.

NUNCA.

No comments