Dublin, day 2



o dia começou com um nascer do sol promissor da janela do hotel. animada com a perspectiva de um aniversário ensolarado eu caí dentro das roupas e saí correndo pra caçar um desjejum à altura.











passamos por lojinhas interessantes vendendo miniaturas, toy art e eu quis levar essa stock inteira pra casa (especialmente os artigos de cozinha), mas estava viajando só com mala de mão, damn. voltamos ao st. stephen’s - o tal shopping envidraçado - e sentamos num café “francês” perto da livraria, bonitinho mas nada pretensioso. comi um panini de frango simples e um scone, dessa vez com passas mas ainda sem creme; vou ter que aceitar, né.









fomos conhecer o campus do trinity college e depois andamos até a estação de tara street para pegar o trem em direção a howth. pipoca doce + limericks pra viagem e duas turistas americanas meio perdidas que não sabiam se tinham entrado no trem certo; respectivo se ofereceu pra ajudar e elas não agradeceram, nem deram papo e foram pedir/aceitar ajuda de outro passageiro. americano grosseiro é uma raridade na minha experiência (comigo sempre simpaticíssimos e solícitos); chamei respectivo num canto e sugeri que ele parasse, porque obviamente não estava agradando. elas que fossem à merda. ♥

















howth é uma graça, uma vibe meio jersey com gaivotas, pier, casinhas coloridas, muitos barcos, bares servindo frutos do mar e uma village adorável. recomendo a visita; é uma experiência diferente do típico roteiro urbano, fica perto do centro, um dia é suficiente pra ver tudo e a vista é maravilhosa. subimos um pouco a pé, mas logo vimos que não ia rolar chegar no topo. comprei biscoitos numa padaria carregada de delícias e descemos para investigar trajetos: uma das linhas de ônibus (31) vai até o summit.





tomamos seafood chowder num dos bares da orla (muito boa, mas não excepcional como a do the bank), pegamos o ônibus e lá em cima ganhei de presente de aniversário um pôr do sol maravilhoso.











como eu não estava apropriadamente calçada achei mais prudente não descer até o farol - bem que eu gostaria. tomamos um café no pub do alto (lotadíssimo, cheio de gente jovem e meninas super maquiadas) e pegamos o trem de volta pra tara (única chance na vida de dizer i’ll go back to tara, risos).









estava meio sem fome pra encarar um super jantar de aniversário e preferi fazer um pub crawl experimentando várias novas e cervejas. encerrei a noite sentada em meio aos pisca-piscas no little ass (melhor name para um restaurante servindo burritos, haha).

No comments