Hampstead colours





the painted doors hunter strikes again.













north west 3, you so pretty.



não é legal quando o dono da casa chega na hora exata em que você está fotografando a fachada dele? e entra rápido pra não atrapalhar o seu momento? <3 id="tumblr_lightbox_center_image" img="" src="https://68.media.tumblr.com/7bbb673262292910a46557e1cd09d2de/tumblr_onhltvrJOi1s5j6nko2_1280.jpg">















não sei o que é esse lugar. parece o ateliê de um artista.



















essa casinha lilás é famosa no instagram. todas essas flores são fake. as pessoas na rua olham e dizem "ah, que pena". eu acho ela awesome. e mais awesome ainda que quem mora ali não dá a mínima. haters gonna hate (e a janela sempre estará florida, em todas as estações).





a famosa hora do almoço.





o almoço foi no vila bianca, que tem um dos melhores cafés que eu já tomei aqui.
o bolinho é da gail's bakery, onde me trouxeram chá verde porque eu pedi um chá mas "não especifiquei", risos.

hampstead village, eternamente "top 1 lugares onde eu moraria em londres"

Why spend your sadness now? Save it up for me.



brick lane é a hipsterlândia mais legal de londres (sim, mais que dalston). é o melhor lugar do mundo pra comer bagels, foi o primeiro lugar da inglaterra a ter um café que só vende sucrilhos (fundado por irmãos gêmeos - e hipsters), tem mercado de rua domingos mas é nos dias de semana que você consegue caminhar pelas vielas vazias e apreciar a street art nos muros acabadinhos de tijolo aparente.





















a idéia era almoçar no ottolenghi mas a colega não quis comer salada (compreensível) e por isso eu me dirigi ao balcão dos doces a fim de comprar alguns para levar pra casa.





fomos então almoçar no las iguanas, um restaurante "fusion" - ou seja, com crise de identidade e que não sabe muito bem se é brasileiro ou mexicano.





eu já comi ali outras vezes e curti, mas dessa vez por algum motivo achei meio boring.
pelo menos tem guaraná (infelizmente não tinham zero, que eu prefiro):



essa loja fica no boxpark em shoreditch (um shopping cujas lojas ficam dentro de contâiners, uns 5 minutos de caminhada de brick lane) e vende, entre outras coisas, esculturas feitas com impressora 3D:



essa aqui (rag yard) fica em brick lane mesmo e tem umas roupas interessantes:







fiquei cobiçando esses broches de feltro: acho que vou voltar lá depois pra comprar alguns.



saracoteio na rough trade, onde a gente nunca compra nada (quem compra cds em 2017, meldels?) mas aprecia a música ambiente (estavam tocando o cd novo do ryan adams, que eu adorei), fuça os livros e zines e acaba esbarrando no jarvis cocker, que ia fazer um show na loja dali a pouco. london is mad.







e esse aqui é basicamente um livro de nudes que foram censurados pelo instagram. awesome.









eu já tinha comprado a sobremesa, mas isso não ia me impedir de comer um donut de creme brulée na crosstown, ia? of course not.



e o meu financier da ottolenghi que valeu cada um dos rins que eu usei para pagá-lo, haha.



e eu não vou fazer nenhum comentário sobre atentados. i’m fed up.
vou passar a bola pro manic street preachers.

“bullets for your brain today, but we’ll forget it all again
monuments put from pen to paper turns me into a gutless wonder

gravity keeps my head down
or is it maybe shame
at being so young and being so vain

holes in your head today, but I’m a pacifist
i’ve walked la ramblas, but not with real intent

and if you tolerate this
then your children will be next.”