Two days, two teas.

















Mariage Frères, tradicional marca francesa de infusões (since 1854!), abriu um salon de thé podre de chique em plena Covent Garden. O menu devia ter umas 10 páginas só de chás e foi difícil chegar num consenso; a sua escolha chega à mesa servida em louça toda monogramada (do guardanapo aos pratos, passando pela delicada colherzinha de prata do açucareiro que você pode comprar por uma mini fortuna na loja) e já pronto, sem as folhas. Não gostei muito do fato de não poder controlar a intensidade da infusão; meu chá (de damasco) veio forte demais, com um leve saborzinho amargo que denunciava cozimento. Não sei estava passando do ponto ou se escolhi errado, só sei que já tomei chás melhores.

Os scones estavam muito bons, e mais ainda a dupla de geléias de fruta saborizadas com earl grey. Não espere creme, no entanto; você vai receber um pote minúsculo de manteiga (tivemos que pedir extra). Não é um lugar barato; as infusões mais acessíveis custam cerca de 9 libras por bule individual, que fornece umas quatro xícaras e não se pode dividir. Obviamente todos os chás do menu estão disponíveis para compra e também custam os olhos da cara; mas tão chiques as latinhas… Os bules de vidro, super delicados, saem por cerca de 300 dinheiros cada. Ouch. Franceses, com todo aquele socialismo, não são nem um pouco tímidos na hora de cobrar… Mas em se tratando de chá eu ainda fico com os ingleses.















Já a Maison Bertaux é um tearoom deveras excêntrico plantado desde 1871 bem no coração do Soho. O decór é peculiar e um tanto quanto caótico, no melhor sentido possível; a vibe é francesa, principalmente na patisserie - mas o chá é servido à moda britânica e você só precisa dizer "two teas, please" que a mensagem será entendida e um bule de english breakfast lhe será apresentado com direito a pote extra de água quente para fazer aquele top up experto. Ah, the joy of familiar things...

Nunca experimentei, mas reza a lenda que o croissant de amêndoas é imbatível. O bolo da foto estava estupendo, molhadinho e sem pesar a mão no açúcar. As paredes com rabiscos da clientela (nesse dia composta por 80% de milenials chineses e coreanos), as trocentas fairy lights e pilhas de livros surrados espalhadas por todos os cantos e a louça simples dão ao lugarzinho um charme de casa de avó. Se fizer um dia bonito sente-se por favor numa das mesas da calçada, tire o pote de flores mortas da frente, peça um pote de english breakfast, abra um jornal ou simplesmente veja a vida passar - e sendo o Soho você vai ter bastante coisa pra ver, trust me.



Ah, good news para quem preferia seguir o blog pelo feed do Tumblr: ele está de volta, sem os arquivos antigos (que estão vindo todos para cá, já consertados depois da mancada do photobucket) porém com conteúdo atualizado com maior frequência. A idéia é reunir lá os snapshots de celular que eu costumo fazer nas minhas andanças pela cidade e que às vezes vão parar nas stories do Instagram (onde só sobrevivem por 24h) mas quase nunca aqui no blog. As atualizações deverão ser mais frequentes, porque pelo Tumblr eu posso fazer isso da rua mesmo. ;)

Ou seja, basicamente fotos de Londres, comida e gato, com algumas reclamações e qualquer outra coisa que eu achar interessante pela internet. Os meus outros tumblrs meio que foram morrendo aos poucos, mas eu gosto da plataforma e queria usá-la de uma maneira legal. E sim, você vai ter que me seguir novamente mesmo que já me seguisse por lá; o username é o mesmo, mas o blog é novo. Go, Sharon!