Blossom at my feet, flower.















































A floração das magnólias esse ano foi belíssima; a temperatura amena nos trouxe flores abundantes e pétalas perfeitas graças à ausência das famosas geadas de fevereiro. Passeios roubados aqui e ali quando as nuvens davam trégua; e deram poucas, pois apesar das cores da primavera março foi um mês cinza. A luz desses raros dias de sol acendia as flores coloridas nos galhos como pisca-piscas de natal, e o canto dos pássaros que começam a retornar da sua peregrinação anual em busca de ares mais cálidos soavam como christmas carols na manhã. A primavera é, indeed, um presente.

Estamos em abril. Domingo passado foi dia das mães; daqui a duas semanas, páscoa e feriado. Fora o Natal é o único aqui onde realmente TUDO fecha. Já comi o ovo "white chocolat gourmet" que comprei para a ocasião. Veredito? Yuck. Para a páscoa propriamente dita, na impossibilidade de conseguir um ovo de colher com recheio cremoso de chocolate branco, vou me acabar nessa barra de Lindt (que é cremosa por dentro, ou seja, quase lá).

Enquanto fotografava as magnólias fui abordada por uma dona fazendo cara feia. "Por acaso você está tirando fotos da minha casa?". Olhei para o pé de magnólia, olhei para a dona e disparei, "por que, você mora numa árvore?" Ela deu uma risadinha como se tivéssemos acabado de dividir uma piada - mas você não me engana, Sharon. Saí de lá reflexiva: eu perguntei a uma gringa se ela morava em árvores. Sete palavras e eu vinguei algumas gerações de brasileiros. Yeah.

Cerejeiras e forsítias on the way in, quince blossoms e camélias on the way out. And it goes on.

"honey, tonight, it's cedar when you are around
warmer in spring, but call me whenever you're down
blossom at my feet, flower"