Lake District

De volta à pequena ilha.
Três semanas fora de casa (fiz até uma foto do jardim na hora da saída para comparar com a TOTAL transformação que ele sofreria na volta… As folhas já caíram todas) e precisas 758 fotos na câmera; esperamos que dessas pelo menos umas 20 se salvem.

A última parte da viagem incluiu seis dias em Paris e a minha primeira experiência com o Eurostar. Que aliás foi ótima. Em duas horas e meia, cobrimos o percurso Londres - Paris, direto do centro de uma cidade para o outro. Foi só entrar na belíssima estação de St. Pancras, sair na (nem tão bela…) Gare du Nord e pegar o metrô para o hostel.

Sobre o hostel… Bem, esse merece um post à parte.

Antes de Paris, passamos dois dias no Lake District, na região de Cumbria - sem dúvida uma das paisagens mais bonitas da Inglaterra. Considerei seriamente a possibilidade de me mudar para lá num futuro distante; não é tão isolado como Jersey, mas tão bonito quanto. E o outono por aqueles lados é simplesmente fenomenal.


















As vitrines estavam cheias de coisas gostosas:






Ou bonitinhas/cafonas (= kitsch):











Visitamos algumas localidades próximas (Windermere, Troutbeck, Ambleside, Bowness, Grasmere) e todas eram limpas e bem cuidadas, mas sem aquele ar meio artificial de perfeição que frequentemente aflige pequenas cidades turísticas.














Na primeira manhã, abrem-se as janelas: um pavão.
(sinceras desculpas à senhorinha que inadvertidamente acabou saindo na foto, de camisola e com cara de sono).


Este post foi um oferecimento de Paracetamol, Codeína e Sudafed. Estou há quase duas semanas curtindo uma deliciosa gripe e tossindo mais que poeta romântico tuberculoso, portanto não exatamente inclinada a passar muito tempo no sótão - que, apesar de bonitinho, é frio porque não tem aquecimento.

Voltaremos assim que a saúde permitir passar mais que 20 minutos fora da cama sem precisar vestir todo o armário para não morrer de hipotermia. :)

blog comments powered by Disqus