It's beginning to look a lot like Springtime







Forsítias e camélias já em fase de pico; cerejeiras e magnólias, quase lá.

Derby veio fazer uma visitinha; ele é o gato ruivo do vizinho, e uns tempos atrás parecia estar obcecado com a nossa casa. Depois descobrimos que os donos estavam viajando e ele estava apenas se sentindo solitário. ♥ He is SUCH a cutie; carinhoso, falastrão e sociável. Diesel obviamente o odeia, haha.

A few hours of Freedom.









Dia de inverno com sol azul, então teve mini road trip (segundo os protocolos do Covid não é permitido ainda se afastar muito de casa). Essa é a reserva de Hanningfield em Essex; estava fechada, claro, então nós apenas estacionamos na estrada e ficamos admirando os patos, galeirões, galinhas d'água, cisnes e outras aves aquáticas.  Também avistei as primeiras snowdrops do ano, tufos de delicadas flores branquinhas se espalhando à beira do caminho.


Na volta pelo centro de Brentwood avistamos um café Nero e obviamente tivemos que fazer um pit-stop por motivos de chocolate quente; eles fazem os melhores. Nem consigo lembrar da última vez que tomei um hot drink na rua! Incrível como coisas absolutamente normais se tornam especiais quando não podemos fazê-las. Estava delicioso e veio com gostinho extra de liberdade. ♥

Brief delights in the sun.


 
Now is the winter of our discontent
Made glorious summer by this sun of York;
And all the clouds that lour'd upon our house
In the deep bosom of the ocean buried.


Quando, depois de muitos dias de chuva, a previsão é de céu limpo e algum sol, o britânico se sente no dever moral de pôr os pés para fora de casa; lockdown be damned. Sem descumprir nenhuma lei, nos dirigimos ao segundo parque mais próximo de casa (15 minutos de carro) a fim de esticar as pernas e absorver alguma vitamina D.











Hellebores (ou rosas de inverno), uma das raras flores dessa época do ano numa delicada prévia da primavera.



O parque tem uma colônia de vaquinhas (que ficam "guardadas" no inverno) e outra de cervos, que perambulam o ano inteiro a fim de bombar o instagram dos visitantes:







Fiquei intrigada com essas flores (?) secas e curiosa pra saber o aspecto que tinham antes:



E o passeio ainda me presenteou com essas jóias da natureza:







Mas apesar do bom tempo, ainda bem que eu fui de galochas. Dias e dias de chuva transformam a grama em pântano e o solo em lamaçal. No começo eu inocentemente tentava evitar a lama, mas logo vi que isso não seria possível. Apesar do medo de escorregar nesse patê e voltar pra casa banhada em barro, foi divertido.







E antes que o sol se escondesse atrás dos prédios de Canary Wharf, voltamos à clausura - mas com um pouco mais de oxigênio nos pulmões, vitamina D no sistema e esperança no coração. Espero que esse seja o último "winter of our discontent". E que um verão glorioso traga de volta a nossa liberdade.

And it must have been sweat, but I drank it like wine.














Comprei esse Pick'n'Mix na véspera do meu aniversário, uma dose necessária de inocência açucarada para celebrar meu envelhecimento em pleno lockdown. Eu nem lembro o que fiz no aniversário anterior (memória excelente para coisas que aconteceram há três décadas; já ano passado é um borrão), mas certamente deve ter sido mais animado que sentar na sala de jantar para acender velinhas num bolo de supermercado. Pensei em comprar balões metálicos, fazer um mural e juntar 3 pessoas num birthday zoom, mas quer saber? This ain't really me. Me dei essas velinhas coloridas (another touch of whimsy), me dei os parabéns por ter sobrevivido 2020 e me dei por satisfeita. 


Meu celular novo chegou esse mês e com muito pesar aposentei essa capinha magnífica cheia de glitter movediço. Ela é super pesada e não vou sentir falta do tijolo em que ela transformava meu finíssimo e levíssimo 6 plus - mas tão bonito o rosto... O telefone novo é um 11 Pro e já estou insatisfeita com o tamanho; me acostumei com tela grande. A câmera é boa no escuro; fora isso não estou vendo nenhuma diferença fenomenal, mas como não posso reclamar do preço que encontrei fico quieta. Espero que dure tanto quanto o anterior, que ainda funciona.


Lendo uma discussão sobre “filmes que te deram expectativas nada realistas sobre como seria a sua vida adulta” e percebendo que eu nunca tive expectativas sobre como seria a minha vida adulta. No máximo pensei em filmes como St Elmo’s Fire e Reality Bites, onde um monte de recém adultos se dá conta de que um diploma não é a chave da felicidade e que relações humanas são complicadas e nem sempre têm final feliz. Tudo o que EU queria era um emprego sem contato com o público e que me pagasse o bastante pra mobiliar um quarto-e-sala nas Casas Bahia. Nasci pra ser medíocre.


Por outro lado consigo pensar em momentos da minha vida adulta que a Lolla adolescente teria achado super cool e que jamais aconteceriam de verdade. Ver neve. Cruzar a Oxford Street em Londres dentro de um black cab. Tomar café da manhã num diner em NY. Marcar um “almoço de negócios” na agenda. Sair às quatro da madrugada descalça de um bar na Lapa levando o sapato na mão. Ter um trench coat! Encomendar cartões de visita com meu nome e telefone numa gráfica a fim de distribuir para clientes. Tomar bellinis na manhã de natal. Tomar chá das cinco no Ritz. Tomar uma taça de vinho Valpolicella em... Valpolicella. Marcar e pegar um vôo internacional sozinha. Voar business class (não paguei, hahaha; foi um upgrade gratuito). Visitar um Souk em Dubai. Entrar nas Galeries Lafayette em Paris. Assinar um artigo num portal. Marcar um café com amigos num bar, pagar a conta e dar gorjeta. Estar de casaquinho em pleno janeiro, tomando café e browseando o instagram no tablet, quando na adolescência muitas vezes me perguntei se um dia teria condições de ter uma casa, um emprego e um mínimo de estabilidade.


No fim das contas talvez seja melhor nascer pra mediocridade e se surpreender positivamente do que o contrário.